Contagem

web counter free

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Antevisão GD Estoril-Praia - Boavista FC


DESLOCAÇÃO AO ESTORIL
RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
GD Estoril Praia vs BOAVISTA FC
(20 de Outubro, sexta-feira às 20:30 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação ao Estoril, na próxima sexta-feira, dia 20 de Outubro.
PREÇOS 
Bilhete + transporte: 15euros
Apenas bilhete de jogo: 10euros

Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sexta-feira, dia 20 de Outubro às 15 horas, na Pantera.
Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS AO ESTORIL!

domingo, 15 de outubro de 2017

Eliminados da Taça de Portugal

VILAVERDENSE FC-1 BOAVISTA FC-0

Taça de Portugal 2017-2018 3ºEliminatória
15 de Outubro de 2017 - 15h
Campo Cruz do Reguengos em Vila Verde
 Árbitro :Rui Costa(A.F.Porto)


GR:Pedro Freitas GR:Vágner da Silva
DD:Pedro Lemos DD:Carraça
 DC:Néne DC:Stéphane Sparagna(Rochinha 72')
DC:Rafael Vieira  DC:Raphael Rossi
DE:João Carneiro DE:João Talocha
MC:Ibraima Só MC:Idrís Mandiang(Leonardo Ruiz 80')
MC:Ahmed Ishai(André Salvador 74') MC.David Simão
MC:Latyr Fall MC:Fábio Espinho
ED:André Soares(Pedro Silva 68') ED:Renato Santos
EE:Rafa Miranda EE:Mateus(Kuca 62')
PL:José Pedro(José Santos 86')  PL:Rui Pedro

Treinador:José Couceiro                Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Rui Pedro 96'.

Golos: Rafael Vieira 45'.





O Boavista foi afastado da Taça de Portugal ao perder, este sábado à tarde, com o Vilaverdense, (1-0) em Vila Verde, distrito de Braga, clube que milita no Campeonato de Portugal, o terceiro escalão do futebol nacional.


Um golo de Rafael Vieira em cima do intervalo garantiu a vitória ao Vilaverdense. O Boavista apresentou-se algo sobranceiro e foi surpreendido pela alma dos minhotos.
A equipa de Jorge Simão, que no final enfrentou a fúria dos muitos adeptos dos axadrezados presentes, até podia ter inaugurado o marcador aos 12 minutos, mas o remate de Rui Pedro embateu na barra e, na recarga, o cabeceamento de Mateus saiu à figura do guardião Pedro Freitas.
Talvez pensando que, mais tarde ou mais cedo o golo surgiria, o Boavista jogou quase sempre em baixa rotação, permitindo que o Vilaverdense fosse equilibrando a contenda, assentando essa reação sempre mais na vontade do que em futebol bem jogado.
Aos 41 minutos, Ahmed Isaih ameaçou com um forte remate de fora da área que Vagner não conseguiu parar à primeira e, em cima do intervalo, o Vilaverdense chegou mesmo ao golo.
Rafael Vieira, ao segundo poste, antecipou-se a defesas e guarda-redes boavisteiros e desviou para o fundo da baliza um livre cobrado por Ahmed Isaiah.
Com um resultado para virar, o Boavista lançou-se ao ataque, mas, com poucas ideias, não conseguia entrar no último reduto dos minhotos e pertenceu mesmo a estes uma clara ocasião de golo, por Rafa Miranda, após excelente iniciativa individual pelo lado esquerdo (51 minutos).
Jorge Simão mexeu na equipa pela primeira vez aos 62 minutos, mas só arriscou verdadeiramente com as entradas de Rochinha (72) e Leonardo Ruiz (80), retirando um central e um médio defensivo.
O Boavista intensificou a produção atacante, com muitos homens na frente, mas não jogou melhor por isso e o Vilaverdense segurou o triunfo.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Antevisão Taça de Portugal VilaVerdense FC - Boavista FC


DESLOCAÇÃO A VILA VERDE
Vilaverdense vs BOAVISTA FC 
(15 de Outubro, às 15 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Vila Verde, no próximo Domingo, dia 15 de Outubro.
PREÇOS 
Bilhete + transporte: 12euros
Apenas bilhete de jogo: 7euros

Partida: 13 horas, na Pantera.
Alertamos todos os associados que, devido à capacidade reduzida do estádio (900 lugares), o número de bilhetes disponibilizados são em número limitado.
Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS A VILA VERDE!

sábado, 30 de setembro de 2017

Com o Novo Treinador Ainda Não Perdemos

BOAVISTA FC-1 CD FEIRENSE-0
Liga Nós 8ºJornada 2017-2018
30 de Setembro de 2017 - 18H15M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Manuel Mota(A.F.Braga)

GR:Vágner da Silva   GR:Caio Secco
DD:Tiago Mesquita   DD:Jean Sony
 DC:Stéphane Sparagna  DC:Luís Rocha
DC:Raphael Rossi  DC:Briseno
DE:João Talocha DE:Tiago Gomes
MC:Idrís Mandiang  MC:Cris Santos(João Graça 79')
 MC:David Simão MC:Luís Aurélio8Edsón Fárias 65')
MC:Fábio Espinho(Rochinha 82')  EE:Tiago Silva
ED:Renato Santos ED:Babanco(Luís Machado 65')
EE:Mateus(Kuca 79') PL:Etebo
PL:Iván Bulos(Rui Pedro INT) PL:João Silva

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Nuno Manta Santos

Cartões Amarelos:Tiago Silva 23',David Simão 24',Fábio Espinho 45',Jean Sony 45',Raphael Rossi 45',Babanco 54' e Tiago Gomes 90'.

Golos:Renatos Santos 37'.





O Boavista ascendeu este sábado, provisoriamente, ao sétimo lugar da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Feirense por 1-0, mantendo-se invicto na era Jorge Simão, em encontro da oitava jornada.


Um golo de Renato Santos, aos 38 minutos, valeu o terceiro triunfo na prova aos axadrezados, que, depois da mudança de técnico, já tinha batido o Benfica (2-1) e empatado no reduto do Vitória de Setúbal (1-1).
Com este resultado, o Boavista passou a contar 10 pontos, enquanto o Feirense manteve-se com oito, caindo, para já, no 12º posto.
Depois de terem batido o Benfica (2-1) e empatado fora com o Setúbal (1-1), os axadrezados fizeram frente ao Feirense a melhor exibição da época e impuseram-se ao Feirense graças a um golo de Renato Santos, a dar sequência um grande cruzamento de Talocha.
A equipa de Jorge Simão foi quase sempre superior ao adversário, através de um futebol rápido e incisivo, e depressa, aos cinco e aos 12 minutos, criou as primeiras situações de perigo junto à baliza de Caio.
Pouco depois, Iván Bulos caiu no relvado, queixando-se da cabeça, foi aí assistido e chegou a ser pedida a sua substituição, mas o dianteiro peruano recuperou e manteve-se em campo até ao intervalo, altura em que foi substituído por Rui Pedro, porque, explicou depois o treinador, sentiu tonturas.
Dominador, confiante e com mais iniciativa e clarividência atacante, o Boavista manteve a pressão sobre o Feirense e, aos 38 minutos, acabou por ser premiado com um golo, por Renato Santos, que foi um dos melhores homens em campo.
O Feirense criou perigo após um passe falhado de Mateus e depois, aos 45+3 minutos, num livre direto cobrado opor Babanco, com Vagner a sacudir a bola para canto.
Na segunda parte, o Boavista manteve o seu ascendente quase até ao fim e o Feirense raramente incomodou a sério Vagner, tendo revelado grandes dificuldades para chegar com perigo à área ‘axadrezada’.
Idris, de cabeça, e Mateus, com um remate forte, ameaçaram, fazer o segundo golo para o Boavista, que aos 62 minutos construiu uma grande jogada de ataque, com Rui Pedro a servir bem David e este a optar pelo remate, mas por alto, quando podia ter devolvido a bola ao atacante cedido pelo FC Porto.
O Boavista bem tentou fazer o segundo golo, mas não o conseguiu e isso deu alguma esperança ao Feirense e criou alguma ansiedade entre os jogadores locais na ponta final da partida.
Kuca, que substituiu o esgotado Mateus, ofereceu o 2-0 a Renato Santos, mas este chegou atrasado e rematou para as redes laterais da baliza do Feirense.
O Boavista recuou para defender a magra vantagem e o Feirense, finalmente, aproximou-se mais da baliza de Vagner, que, aos 88 minutos, teve de aplicar-se para travar um cabeceamento de Edson Farias que levava selo de golo.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Antevisão Boavista FC - CD Feirense

BOAVISTA FC – CD Feirense
Sábado , dia 30 de setembro às 18:15

Preços dos bilhetes:
Sócios: 3€
Acompanhantes de Sócio: 7,5€ (cada associado poderá adquirir até 3 Bilhetes
Público: 15€

Horário das bilheteiras: segunda a sexta, das 9h30 às 12h30, e das 14h00 às 18h00;
sábado, das 9h30 até ao intervalo do jogo, bilheteira nascente: das 16:00 até ao intervalo do jogo.



segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Empate em Setúbal

V.SETÚBAL-1 BOAVISTA FC-1
Liga Nós Época 2017-2018 7ºJornada
25 de Setembro de 2017 - 20h
Estádio Do Bonfim em Setúbal
 Árbitro :Nuno Almeida(A.F.Algarve)


GR:Pedro Trigueira GR:Vágner da Silva
DD:Arnold Issoko DD:Edú Machado(Tiago Mesquita 63')
 DC:Vasco Fernandes DC:Stéphane Sparagna(Rui Pedro 79')
DC:Pedro Pinto  DC:Raphael Rossi
DE:Nuno Pinto DE:João Talocha
MC:André Pedrosa MC:Idrís Mandiang
MC:Nêne Bonilha(Edinho 78') MC.David Simão
MC:João Costinha  MC:Fábio Espinho
ED:João Amaral ED:Renato Santos
EE:Willyan(Rafinha 65') EE:Kuca(Mateus 32')
PL:Gonçalo Paciência  PL:Iván Bulos

Treinador:José Couceiro                Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Fábio Espinho 90'.

Golos: João Amaral 50' e Mateus 85'.




O V. Setúbal falhou com a meta à vista o regresso aos triunfos após o desaire em Paços de Ferreira na jornada anterior. Mateus, com um toque de recurso no ar, gelou o Bonfim quando os sadinos pareciam ter mão e meia nos três pontos apesar da vantagem magra que tinham para gerir.
No segundo jogo de Jorge Simão a manejar o xadrez, e na semana seguinte ao triunfo surpreendente sobre o Benfica, o Boavista soma o primeiro ponto fora de portas na Liga 2017/18.
V. Setúbal no comando e com um denominador comum
Paciência. Muito Paciência. Antes que o leitor se sinta tentado em alertar o autor da crónica para a existência de um erro de concordância, reiteramos que houve mesmo muito Paciência no Estádio do Bonfim nesta segunda-feira à noite.
O avançado do V. Setúbal teria sido o grande responsável pelo regresso da equipa de José Couceiro aos triunfos não fosse o balde de água fria de Mateus nos minutos finais da partida. Combativo, dinâmico e incansável, Gonçalo Paciência esteve em quase todas as ações ofensivas perigosas do conjunto de José Couceiro ao longo do encontro.
Aos 5 minutos ainda assustou, aos 12’ isolou-se e rematou para excelente intervenção de Vagner e trabalhou de forma fantástica sobre Sparagna aos 50 minutos antes de servir de bandeja João Amaral para o 1-0.

Seguros defensivamente, soberanos no meio-campo e arrojados no ataque, onde Paciência e Amaral iam dando cartas e expondo as fragilidades defensivas de uma equipa portuense muitos furos abaixo da imagem dada há uma semana na receção ao campeão nacional, o golo dos sadinos chegou tarde.
Ao intervalo, os anfitriões já justificavam uma vantagem no marcador (Paciência, Amaral e Willyan beneficiaram de boas oportunidade), que acabou por chegar numa altura em que o Boavista tinha regressado dos balneários com uma postura mais proactiva.
Reação axadrezada
O golo pareceu satisfazer o Vitória, que entre a tentativa de uma gestão inteligente do jogo (bem sucedida até perto do final) e os ataques pela certa na busca de um golo que pudesse fechar o jogo, não se livrou de um ou outro susto. Aos 56 minutos, Bulos falhou o empate num remate acrobático lance ganho.
Por essa altura, Mateus começava a justificar a opção de Jorge Simão, que gastou uma substituição ainda na primeira parte, ao lançá-lo para o lugar de Kuca, quase sempre desacertado quando foi chamado à ação. Estancou as subidas de Arnold pelo corredor direito e pôs a nu as enormes debilidades defensivas do lateral adaptado.
Aos 86’, numa altura em que Jorge Simão já tinha prescindido do central Sparagna para apostar a última ficha no ataque com Rui Pedro, bateu o congolês na antecipação e empatou o jogo que esteve perto de cair para o lado dos axadrezados em mais um lance com selo de Mateus perante um Vitória que acusou o golo sofrido depois de um jogo que esteve perto de ser imaculado.
Gonçalo não merecia. Paciência.



sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Antevisão V.Setúbal - Boavista FC


DESLOCAÇÃO A SETÚBAL
Vitória FC vs BOAVISTA FC – segunda-feira, dia 25 de Setembro às 20:00
A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Setúbal, na próxima segunda-feira, dia 25 de Setembro.
Bilhete: 10€
Autocarro + bilhete de campo: 12€
Partida: 15:00, na Pantera
Reservas e Bilhetes disponíveis, na Secretaria do Boavista Futebol Clube.
Horários: segunda a sexta das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Sábado, na provedoria do Associado das 10:30 às 12:30 e das 14:00 às 17:00
Solicitamos que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.

sábado, 16 de setembro de 2017

Segunda Vitória da Época

BOAVISTA FC-2 SL BENFICA-1

Liga Nós 6ºJornada 2017-2018
16 de Setembro de 2017 - 18H15M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Artur Soares Dias(A.F.Porto)

GR:Vágner da Silva   GR:Bruno Varela
DD:Édu Machado   DD:André Almeida
 DC:Stéphane Sparagna  DC:Luisão
DC:Raphael Rossi  DC:Rúben Dias
DE:João Talocha DE:Grimaldo
MC:Idrís Mandiang  MC:Filipe Augusto
 MC:Gilson Costa(David Simão INT) MC:Pizzi
MC:Fábio Espinho(Rochinha 77')  EE:Zivkóvic(Gabriel Barbosa 77')
ED:Renato Santos ED:Eduardo Sálvio(Rafa Silva 51')
EE:Kuca PL:Jonas
PL:Iván Bulos(Rui Pedro 94') PL:Seferóvic(Raúl Jiménez 71')

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Rui Vitória

Cartões Amarelos:Vagner da Silva 85' e Raúl Jiménez 91'.

Golos:Jonas 7',Renato Santos 55' e Fábio Espinho 74'.





No primeiro jogo de Jorge Simão no comando técnico, depois da saída a meio da semana de Miguel Leal, o Boavista recebeu e venceu, este sábado, o Benfica (2-1), em jogo a contar para a sexta jornada I Liga de futebol.

O brasileiro Jonas, logo aos sete minutos, adiantou Benfica, mas o Boavista deu a volta na etapa complementar, através de Renato Santos, aos 55, e de Fábio Espinho, aos 74 minutos.
A vitória permite ao Boavista subir ao 10.º lugar com seis pontos, enquanto o Benfica é agora quarto com 13, depois de ter sido ultrapassado pelo Marítimo, que recebeu e venceu, também este sábado, o Desportivo das Aves por 2-1.
A equipa de Rui Vitória surgiu com o jovem central Rúben Dias no eixo defensivo, em vez de Lisandro Lopez, ausente com febre, segundo justificou o clube ‘encarnado’.
O Benfica entrou e forte marcou cedo, aos sete minutos, por Jonas, que aproveitou bem um cruzamento de Zivkovic, cabeceando para o fundo da baliza boavisteira.
O Boavista reagiu ao golo sofrido, adiantando-se no relvado, e procurou pressionar logo no meio-campo defensivo do Benfica, conquistando assim vários livres, que criaram problemas à defesa ‘encarnada’.
A pressão boavisteira manteve-se durante alguns minutos, à custa de muita entrega, mas sem a clarividência necessária para levar perigo à baliza de Bruno Varela.
O Benfica voltou a criar perigo aos 29 minutos, num livre de Jonas que Vagner defendeu para canto, aos 31, com um remate do mesmo jogador que saiu perto do poste esquerdo do guardião ‘axadrezado’, e aos 33, com outro remate forte, desta vez por Zivkovic.
Cada vez que o Benfica meteu velocidade nos seus ataques, ora por Salvio, na direita, ora por Zivkovic, na esquerda, o Boavista sentiu muitas dificuldades.
O Benfica voltou para a segunda parte com a mesma atitude, procurando empurrar o Boavista para junto da sua baliza, e o Boavista regressou com David Simão no lugar de Gilson, o que indiciou vontade do novo técnico de arriscar mais com um jogador conhecido por tratar bem a bola.
Mas foi com as armas habituais, muito coração e grande aposta nos duelos individuais, que o Boavista pôs a nu os problemas defensivos do Benfica e até empatou, aos 55 minutos.
Num lance de futebol aéreo, o Benfica não conseguiu tirar a bola da sua grande área e Renato Santos aproveitou uma sobra para atirar rasteiro e cruzado e marcar.
Salvio, entretanto, teve de sair com problemas físicos, algo que o argentino parece não conseguir livrar-se esta época, Rafa entrou para o seu lugar, o Benfica tomou conta do jogo e Vagner negou o golo a Jonas com uma defesa para canto.
O Boavista conseguiu ganhar um livre frontal, aos 77 minutos, e Fábio Espinho encarregou-se da sua marcação e foi feliz, tanto quanto Bruno Varela foi infeliz.
O médio boavisteiro atirou forte, Bruno Varela meteu as mãos à bola e deixou-a fugir para a baliza e, assim, ofereceu o 2-1 ao Boavista.
A partir daí, o Boavista defendeu com ‘unhas e dentes’ a vantagem e o Benfica mostrou-se incapaz de a anular, apesar do seu maior volume de jogo e o seu domínio territorial.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Jorge Simão é o Novo Técnico do Boavista

Jorge Simão assume o cargo de treinador do Boavista Futebol Clube
O treinador de 41 anos, técnico experiente com passagens por clubes como Belenenses, Braga - clubes que se qualificaram para a Liga Europa - Chaves e Paços de Ferreira, será apresentado hoje no auditório do Estádio do Bessa, às 19h00. 
O acordo outorgado entre ambas as partes tem validade até ao final da presente época. 
Acompanham o técnico, Luís Vilela e Gilberto Andrade. Alfredo Castro manter-se-á na Equipa Técnica, tal como Jorge Couto - em coordenação com a Equipa B. 
Sócios, com quotas em dia, poderão assistir à conferência de apresentação. 


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Comunicado: Miguel Leal

No final do treino de hoje, o Treinador Miguel Leal comunicou à Administração da Boavista, SAD a sua vontade em deixar o cargo que ocupava.
Analisadas as razões evocadas, a Administração aceitou o pedido de demissão, que é extensivo aos elementos da equipa técnica (Álvaro Pacheco, Elias Nunes e Pedro Teixeira) que com Miguel Leal entraram na Boavista, SAD, tendo de forma amigável sido efectuada a respectiva rescisão dos contratos de trabalho.

Até ser contratada nova equipa técnica, o que esta SAD pretende aconteça o mais rapidamente possível, a equipa será treinada pelos Treinadores Jorge Couto e Alfredo Castro.
Aos técnicos que, agora, deixam a Sociedade, a Administração não quer deixar de agradecer o profissionalismo, o empenho e a dedicação com que desenvolveram o seu trabalho, e o bom relacionamento pessoal sempre existente.
Porto, 13 de Setembro de 2017
A Administração da Boavista F.C., Futebol, SAD

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Antevisão Boavista FC - SL Benfica




BOAVISTA FC x SL Benfica
Sábado, dia 16 de Setembro, às 18:15

PREÇOS DOS BILHETES

SÓCIOS: 5 euros

Acompanhante de sócio: 15 euros* (disponíveis em número limitado e apenas para sócios contribuintes - 1 por associado)

*Nas zonas exclusivas para sócios do Boavista, por questões de segurança, não serão permitidos adereços do clube visitante, ou quaisquer outros além do visitado.

Para evitar situações semelhantes às ocorridas na época passada, que todos pretendemos evitar, todos deverão adquirir os seus ingressos nos locais oficiais próprios ou através dos meios oficiais e verificar bem para que local exacto os estão a adquirir. Quem não o fizer será o responsável, caso fique sujeito às medidas acima mencionadas.

PÚBLICO
Bancada Norte Nível 2: 20 euros**
Bancada Norte Nível 1: 25 euros**
Bancada Nascente Nível 3: 35 euros**
Bancada Nascente Nível 2 (Executive Seats): 55 euros**

Os preços e medidas agora determinados serão exactamente iguais para os jogos com SL Benfica, FC Porto e Sporting CP.

** Apenas serão vendidos no máximo 3 bilhetes de público por pessoa na bilheteiras do Estádio do Bessa Século XXI.

domingo, 10 de setembro de 2017

Quarta Derrota da Época em Guimarães

VSC GUIMARÃES-1 BOAVISTA FC-0
Liga Nós Época 2017-2018 5ºJornada
10 de Setembro de 2017 - 18h
Estádio Dom Afonso Henriques em Guimarães
 Árbitro :Jorge Sousa(A.F.Porto)


GR:Douglas de Jesus GR:Vágner da Silva
DD:Victor Garcia DD:Edú Machado
 DC:Pedro Henrique DC:Stéphane Sparagna
DC:Jubal  DC:Raphael Rossi
DE:Sebastian Rincon(Heldon 83') DE:João Talocha
MC:Alhansan Wakaso MC:Idrís Mandiang
MC:Kiko(Rafael Miranda 92') MC.Gilson Costa(David Simão 71')
MC:Konan  MC:Fábio Espinho(Rochinha 82')
ED:Fábio Sturgeon(Paolo Hurtado 45') ED:Renato Santos
EE:Raphinha EE:Kuca
PL:Rafael Martins  PL:Iván Bulos(Rui Pedro 82')

Treinador:Pedro Martins                Treinador:Miguel Leal


Cartões Amarelos:Fábio Sturgeon 42' e Edú Machado 50'.

Golos: Sebastian Rincon 65'.




O Boavista perdeu, este domingo, em Guimarães (1-0) e continua nos últimos lugares da tabela classificativa da I Liga.


Rincón, extremo colombiano que se estreou com a camisola vitoriana em jogos oficiais, marcou o golo decisivo, aos 65 minutos, numa fase em que a turma da casa ganhou ascendente, numa partida raramente bem jogada.
Ao repetir o triunfo da ronda inaugural, o conjunto minhoto garantiu três pontos, que ditou a subida ao sétimo lugar, com sete pontos, ao passo que os axadrezados’ocupam o 14º lugar, com três, na sequência de um triunfo e quatro desaires.
Além de Rincón, a formação anfitriã surgiu em campo com mais seis novidades no ‘onze’, que incluíram as estreias absolutas dos reforços Victor Garcia e Wakaso e as entradas de Konan e Jubal para defesa e de Kiko e Sturgeon para o ‘miolo’, e tentou assumir, desde o apito inicial, o comando do jogo, mas sem esclarecimento.
A equipa de Miguel Leal também surgiu modificada face ao encontro com o Desportivo das Aves (1-0), na jornada anterior, com as entradas de Talocha e dos reforços Gilson Costa e Kuca para os lugares de Vítor Bruno, Rochinha e Mateus, e, apesar de entregar a iniciativa ao adversário, criou os lances mais perigosos na primeira parte.
Depois de 15 minutos sem lances de relevo, os axadrezados, na sequência de um dos vários livres cobrados por Fábio Espinho, aproximaram-se do golo aos 18 minutos, quando Sparagna, liberto em posição frontal à baliza, cabeceou à figura de Douglas.
Os vitorianos tiveram mais volume atacante nos primeiros 45 minutos, mas nunca mostraram soluções para romper a organização defensiva do Boavista, quer em bola corrida, quer parada, e a melhor ocasião até ao intervalo pertenceu até a Talocha, num remate forte, desviado pela luva de Douglas, aos 32, após incursão de Kuca pela esquerda.
O treinador Pedro Martins trocou Sturgeon por Hurtado, no vértice mais avançado do meio-campo vitoriano, e a formação da casa, mais dinâmica, começou a criar espaços pelas alas e a colocar a bola na área, antes de dispor da sua primeira oportunidade, num pontapé de ressaca de Kiko, em zona frontal, que Vagner desviou para canto, aos 52 minutos.
O Boavista respondeu dois minutos depois, numa progressão de Renato Santos, que culminou num remate forte e cruzado para defesa de Douglas, mas, aos poucos, o jogo aproximou-se cada vez mais da baliza axadrezada.
No meio da desinspiração, os vimaranenses apontaram o golo inaugural na melhor jogada até então desenhada, ao minuto 65: Konan, com espaço na esquerda, entregou a bola a Raphinha, e o brasileiro colocou-a na pequena área, onde surgiu Rincón a empurrar para o seu primeiro tento no campeonato português.
Em desvantagem, o Boavista mostrou-se incapaz de reagir, e a melhor ocasião até ao apito final pertenceu à equipa da casa, num disparo forte de Rafael Martins por cima, aos 79 minutos.