Contagem

web counter free

domingo, 28 de agosto de 2016

GOLOS E EMOÇÃO DÃO EMPATE


BOAVISTA FC- 2 GD CHAVES-2
Liga Nós 2016-2017 3ºJornada
28 de Agosto de 2016 - 16h
Estádio do Bessa Século XXI
 Árbitro:Luís Godinho(A.F.Evora)

GR:Mika     GR:Ricardo
 DD:Tiago Mesquita   DD:Paulinho
 DC:Nuno Henrique DC:Felipe Lopes
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Freire
DE:Anderson Correia DE:Nélson Lenho
MC:Idrís Mandiang(Bernardo Tengarrinha 79') MC:Fábio Martins(Perdigão 45')
MC:Fábio Espinho MC:Assis
MC:Carraça(Erivelto 86') MC:Rodrigo Battaglia
ED:Renato Santos MC:João Mário(Hamdou Elnouni 58')
EE:Anderson Carvalho(André Bukia 65') PL:Braga
PL:André Schembri  PL:Rafael Lopes(Willian 56')

Treinador:Erwin Sanchez                Treinador:Jorge Simão

Cartões Amarelos:Anderson Correia 66',Idrís Mandiang 67',Felipe Lopes 70',R.Battaglia 74',Paulinho 80' e Hamdou Elnouni 88'.

Golos: André Schembri 36',Hamdou Elnouni 71',Fábio Espinho g.p 75' e Perdigão 83'.






Boavista FC e GD Chaves empataram este domingo a duas bolas no Estádio do Bessa Séc. XXI, com golos de Schembri e Fábio Espinho para os axadrezados e Elnouni e Perdigão para os flavienses.

Erwin Sánchez escalou quase o mesmo onze inicial das últimas jornadas, com apenas uma alteração em relação ao último jogo: a entrada de Anderson Correia para o lugar de Talocha na posição de defesa-esquerdo.
Quase 3 mil nas bancadas, 300 do Chaves, numa moldura humana que não se fartou de cantar no jogo inteiro, criando bom ambiene nas bancadas do Bessa, que pouco depois do apito de Luís Godinho via a primeira ameaça de perigo.
Logo aos 12 segundos, Renato Santos rematou de muito longe e à figura de Ricardo, veterano guarda-redes do Chaves. O Boavista ameaçava logo de início no Bessa.
Seis minutos volvidos, foi Anderson Carvalho a rematar depois de boa jogada de entendimento com Fábio Espinho, mas a bola saiu para fora.
O jogo arrancou entretido, com os dois clubes a tentarem criar jogadas de perigo e a perceber como defendia o adversário, com pressão alta do Chaves e muita agressividade no meio-campo do Boavista, que confiava sobretudo na qualidade individual e nas tabelas dos homens da frente, com Schembri, Renato Santos, Fábio Espinho e Anderson Carvalho com muita liberdade para criar e assumir as jogadas.
Aos 14 minutos, um cruzamento na esquerda de Anderson Carvalho levou a bola a Andre Schembri, que cabeceou para uma defesa monstruosa de Ricardo Nunes, que fez valer a experiência e impediu o golo dos axadrezados.
Quatro minutos mais tarde, na sequência de um contra-ataque, foi Renato Santos quase a marcar depois de Carraça colocar no extremo, agora a surgir na esquerda, mas o remate saiu ao lado da baliza do guarda-redes flaviense, que ainda se esticou para controlar a trajetória do esférico.
O recurso ao contra-ataque, de resto, era recorrente no Boavista, que continuava a defender bem, à semelhança do que já tinha acontecido em jogos anteriores (o Boavista não sofreu golos em nenhum dos dois primeiros jogos), antes de aproveitar a desorganização dos visitantes para criar jogadas de perigo.
Exemplo disso foi novo disparo de Renato Santos, de longe, que aos 23 minutos aproveitou o recuo excessivo dos flavienses para compensar a rápida transição ofensiva dos portuenses para armar o remate, que ainda assim passou longe da baliza.
Aos trinta e quatro minutos, João Mário (o do Chaves, não a nova contratação do Inter) quase marcava num lance em que a defesa do Boavista quase deitava a perder o bom trabalho que tem feito até então. A bola passou ao lado com Mika a controlar com os olhos e a suspirar de alívio por poder manter a baliza inviolável.
Não ia demorar, ainda assim, para o Boavista chegar à alegria depois do susto. Aos 36 minutos, um cruzamento de Fábio Espinho encontrou Renato Santos, que rematou em vólei, com um dos defesas a impedir o golo.
A bola, ainda assim, sobrou para Schembri, e o internacional por Malta não perdoou e marcou o primeiro golo com a camisola do Boavista, dando a liderança no marcador aos axadrezados.
A partir do golo, a Pantera não relaxou e por várias vezes procurou o segundo mais do que os flavienses foram atrás do empate.
O intervalo chegaria naturalmente para pôr termo a uma primeira metade em que ambos os clubes mostraram vontade mas só o Boavista ameaçou verdadeiramente a baliza do adversário – tanto que fez o primeiro golo do jogo.
Segunda parte morna
A segunda parte trouxe um Chaves com vontade de assumir o jogo e ter mais acutilância no futebol ofensivo, até pela entrada de Perdigão, um jogador móvel para servir de companhia ao mais fixo Rafael Lopes.
Ainda assim, pouco ou nada se viu de maior definição no último passe e maior caudal ofensivo. Tanto que o jogo arrefeceu e tornou-se morno.
Prova disso é que o próximo momento digno de registo foi a entrada de Willian no lugar de João Mário, aos 58 minutos.
E o próximo, aos 64, foi… outra substituição. Saída de Anderson Carvalho para a entrada de André Bukia, jovem extremo que teve aqui uma oportunidade para se mostrar aos adeptos.
Logo no minuto seguinte, primeiro momento de verdadeiro perigo criado pelo Chaves, com um remate de Perdigão a sair perto do poste à guarda de Mika depois do extremo tirar Anderson Correia do caminho.
Não bate, mas fura
O Chaves continuou melhor na partida, o que não significa maior proximidade à baliza axadrezada, e o jogo foi-se arrastando para o fim no mesmo ritmo morno, talvez demasiado enquadrado com a hora a que o jogo decorreu, com o sol a banhar os jogadores no novo relvado do Bessa.
Um raio de individualidade, irreverência, talento e criatividade vindo da Líbia havia de romper o ritmo pachorrento do jogo aos 71 minutos.
Uma arrancada espetacular de Elhouni, o libanês do Chaves, passa por vários jogadores do Boavista antes de rematar para o primeiro golo sofrido dos axadrezados esta temporada. Fica a ideia de que Mika estava desposicionado e podia fazer melhor.
Sol de pouca dura
Ainda assim, o Boavista viria a ter nova oportunidade de passar para a frente quando, aos 74 minutos, André Bukia sofreu falta na grande área. Godinho assinalou grande penalidade e, na conversão, Fábio Espinho enganou Ricardo Nunes e fez o 2-1. Estava desatada a desigualdade pouco depois do golo do empate e os da casa passavam novamente para a frente.
Certo é que os dois golos animaram a partida, que se partiu e gerou mais oportunidades de perigo em cada baliza.
Aos 79 minutos, Tengarrinha substituiu Idris, que já tinha amarelo. Sánchez procurava maior frescura no miolo para segurar ou ampliar a vantagem.
Perdigão muda os planos
Depois do segundo golo ter surgido tão rapidamente, poucos adeptos axadrezados pensavam em sofrer novo golo apesar do jogo vivo que decorria sobre o relvado.
Ainda assim, a segunda parte louca iria continuar quando aos 83 minutos Perdigão voltou a igualar a partida com um bom remate na esquina da área, que Mika ainda tocou mas não impediu de entrar. 2-2 na partida e Erwin Sánchez respondia pouco depois com a entrada de Erivelto para o lugar de Carraça.
Fragilizado pelo golo, que abanou a equipa, e pela falta de médios de contenção, depois da saída de Idris e Carraça para dar maior propensão ofensiva à equipa, o Boavista não só não conseguiu reagir como ainda viu o Chaves aproximar-se do terceiro.
Já depois dos 90 minutos, foi Elhouni a entrar na área e a rematar para a defesa de Mika.
A partida viria a acabar. O 2-2 final mantém as duas equipas ainda sem perder na I Liga num jogo em que o Boavista entrou melhor mas o Chaves soube reagir e acabar por cima. O Boavista soma agora cinco pontos, o Chaves dois (tem menos um jogo). Na próxima jornada, a 11 de setembro, O Boavista visita o Sporting de Braga.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Antevisão Boavista FC - GD Chaves




BOAVISTA FC vs GD Chaves, domingo,28 de Agosto, às 16:00, no Estádio do Bessa Século XXI


Sócios 5€

Acompanhantes de Sócio 5€ (1 bilhete por 5€

cada, por cada associado)
Público 15€
Horário das bilheteiras:
Segunda a sexta: 9:30-12:30 e 14:00-18:00
Sábado até às 18:00
Domingo: das 9:30 até ao intervalo do jogo.
Pedimos aos senhores associados para que se dirijam às bilheteiras atempadamente a fim de evitar as indesejáveis filas e consequentes demoras a entrar no Estádio do Bessa Século XXI.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Empate No Restelo


CF BELENENSES-0 BOAVISTA FC-0
Liga Nós 2ºJornada
19 de Agosto de 2016 - 20H30M
 Estádio Do Restelo 
Árbitro : Manuel Mota(A.F.Braga)

GR:Hugo Ventura GR:Mika
DD:Oriel Rossell DD:Tiago Mesquita
 DC:Gonçalo Brandão DC:Nuno Henrique
DC:Domingos Duarte DC:Lucas Tagliapietra
DE:Florent Hanin DE:João Talocha
MC:Rúben Pinto MC:Idrís Mandiang
MC:João Palhinha MC:Carraça
MC:André Sousa(Luís Silva 80')  MC:Fábio Espinho(Bernardo Tengarrinha 90')
ED:Camará(Fábio Sturgeon 74') ED:Anderson Carvalho(Digas 68')
EE:Miguel Rosa EE:Renato Santos
PL:K.Andric(Mica Pinto 90') PL:André Schembri(Samú 85')
.
Treinador:Júlio Velasquez     Treinador:Erwin Sanchez


Cartões Amarelos:André Schembri 53 e Domingos Duarte 71'.




O Boavista FC arrancou esta sexta-feira um empate no terreno do Belenenses, com o marcador nulo a refletir a falta de oportunidades de golo e a boa exibição de Mika.

Os primeiros 15 minutos não tiveram grande história: o domínio do jogo repartido entre as duas equipas, que se estudavam e procuravam, ao mesmo tempo, encaixar-se uma na outra e procurar falhas no adversário.
Aos 20 minutos, Palhinha fez o primeiro remate enquadrado, depois de rodar na área axadrezada, mas Mika agarrou sem dificuldade.
Aos 17 minutos, Miguel Rosa tentou um chapéu de muito longe, sem sucesso, enquanto os adeptos do Boavista se faziam ouvir nas bancadas do Restelo.
Mais rematador, o Belenenses procurava fazer jus ao estatuto de visitado e assumir a partida, com o Boavista expectante e à procura de criar jogo ora com combinações rápidas entre os atacantes para apanhar desprevenida a defensiva do Belém ora com jogo pausado e variações de flanco.
Depois de duas tentativas de Abel Camará, aos 32 e 37 minutos, não terem surtido efeito, e depois de Schembri ter isolado Fábio Espinho na ofensiva do Boavista, que ficou a pedir penálti por carga de Oriol Rosell, a primeira chance de perigo apareceu finalmente no jogo.
Corria o minuto 38 quando um corte incompleto de Idris foi parar aos pés de Miguel Rosa, que enviou a redondinha na direção da baliza. O único problema foi a muralha Mika, que fez uma enorme mancha e cortou os caminhos do golo ao médio português. Viria a fazê-lo de novo na sequência da jogada a cabeceamento de Andric.
Três minutos mais tarde, foi o outro guardião português a brilhar. Livre de Renato Santos na direita do ataque do Boavista e bola na cabeça de Anderson Carvalho, que a colocou à direita de Ventura, que fez uma enorme defesa, estirando-se para atirar a bola para canto.
A primeira metade da partida terminaria pouco depois com muita luta de meio-campo mas muitas bolas perdidas pelo Boavista e pouca acutilância do Belenenses. Os axadrezados criavam várias séries de mais de dez passes, por vezes envolvendo quase todos os jogadores de campo,mas pecavam no que Erwin Sánchez tinha apontado antes do jogo: a finalização.
Mais do mesmo
No reatar da segunda parte, Miguel Rosa deixou o aviso: o Belenenses vinha do intervalo para ganhar o jogo, e o nº7 mostrou isso mesmo com um remate que Mika encaixou.
Pouco depois, Andre Schembri deixou-se cair na área do Belém, mas Manuel Mota não foi em cantigas e amarelou o avançado internacional por Malta. Rapidamente o jogo assentou nos mesmos moldes em que a primeira parte se tinha desenrolado, com muitas disputas a meio-campo mas poucos remates e lances de perigo.
Aos 60 minutos, contudo, foi uma defesa, e não um golo, a ganhar pontos para uma equipa, no caso o Boavista. Depois de um cruzamento, uma série de ressaltos deixou a bola nos pés de Andric, que arrumou Lucas com uma boa finta e rematou, em cima da pequena área, para uma defesa espetacular de Mika que impediu o primeiro do encontro.
Os axadrezados mantiveram a toada durante quase todo o jogo: foi uma exibição combativa do Boavista, que pressionava muito (embora fosse recuando com o avançar do relógio) e com muita agressividade nos duelos de um para um. Faltava maior entendimento do trio atacante e do homem de ligação do meio-campo, Fábio Espinho, entendimento que a aparecer fará deste ataque muito mais temível.
Aos 68 minutos, Digas entrou para o lugar de Anderson Carvalho e voltou a fazer o que já tinha feito no jogo com o Arouca: mexer na partida.
Onze minutos depois de entrar, e já depois de Tiago Mesquita ter rematado ao lado depois da melhor jogada do Boavista FC em todo o encontro, um cruzamento de Renato Santos saiu muito longo, mas Digas foi salvá-lo em cima da linha de saída e deixou a bola redondinha nos pés de Fábio Espinho, que só tinha de fuzilar Ventura, mas o médio deixou passar a oportunidade mais flagrante do jogo ao rematar para fora.
Aos 84 minutos, Schembri deu lugar ao jovem Samu depois de um jogo esforçado à medida que o jogo se partia e entrava numa sequência de passes longos de variável percentagem de acerto que acabavam por não levar a lances de perigo.
Mais tarde, já no último minuto de descontos, Bernardo Tengarrinha (o capitão do Boavista) entrou para o lugar de Fábio Espinho, quando o técnico boliviano procurava queimar tempo para amealhar mais um ponto.
O encontro viria a terminar pouco depois, consagrando Mika como o mais valioso jogador em campo. O Boavista FC soma agora quatro pontos e continua sem perder esta época, contrastando com o Belenenses que soma apenas um ponto e ainda não conhece o sabor da vitória.
Na próxima semana, a 28 de agosto, o Boavista recebe o Desportivo de Chaves pelas 16h.




domingo, 14 de agosto de 2016

Primeira Triunfo da Época

BOAVISTA FC- 2 FC AROUCA-0
Liga Nós 2016-2017 1ºJornada
14 de Agosto de 2016 - 16h
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Bruno Paixão(A.F.Setúbal)

GR:Mika     GR:Rafael Bracalli
 DD:Tiago Mesquita   DD:Gegé
 DC:Nuno Henrique DC:Jubal
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Hugo Bastos
DE:João Talocha DE:Anderson Luís
MC:Idrís Mandiang   MC:Crivellaro(Nuno Valente 57')
MC:Fábio Espinho(Bernardo Tengarrinha 84') MC:André Santos(Sancidino Silva 77')
MC:Carraça MC:Nuno Coelho
ED:Renato Santos(Samú 90') ED:Zequinha8Marlon de Jesus 32')
EE:Anderson Carvalho EE:Mateus
PL:André Schembri(Digas 77') PL:Walter Gonzaléz

Treinador:Erwin Sanchez                Treinador:Lito Vidigal

Cartões Amarelos:Jubal 18',Carraça 50',Nuno Coelho 77',Walter Gonzaléz 90'.

Golos: Idrís Mandiang 5' e Lucas 25'.

Os axadrezados não podiam pedir melhor arranque do campeonato. O Boavista venceu o Arouca por 2-0 na primeira jornada da edição 2016/17 da I Liga.
Um bom jogo entre duas equipas com objetivos e expectativas diferentes: o Arouca, que vê este encontro ensanduichado entre duas eliminatórias europeias, e o Boavista, que procura a primeira temporada tranquila desde o regresso à I Liga. A balança pendeu claramente para os homens da casa.
Erwin Sánchez tinha dito que queria, esta época, dar mais «alegrias aos adeptos». E deu mesmo, quer pelo resultado, quer pela exibição. Um Boavista de gala, que soube jogar à procura do golo e depois, com a diferença dilatada, soube gerir essa vantagem.
Mas desengane-se quem pensa que este foi um encontro fácil. De todo. A qualquer momento, o jogo podia mudar, e ambas as equipas sabiam isso. Durante os 90 minutos, ninguém baixou os braços ou adormeceu perante o marcador. O resultado foi um jogo intenso, com todas as bolas muito disputadas, e um bom espetáculo para quem assistiu.
O Boavista entrou em campo com cinco caras novas, um plantel que, ao contrário da temporada passada, em que Sánchez acabou por herdar os jogadores, tem a mão do técnico boliviano. No Arouca, já com dois jogos oficiais nas pernas, poucas mexidas em relação à temporada passada.
A jogar em casa, os axadrezados entraram, como de costume, dispostos a disputar intensamente todas as bolas. E o Arouca mostrou-se preparado para isso e disposto a fazer o mesmo. Foram, por isso, intensos logo os primeiros instantes de jogo. E, logo aos cinco minutos, já se festejava no Bessa. Na sequência de um lançamento de linha lateral, Idris apareceu junto ao poste direito e, quase sem ângulo, tentou uma espécie de cruzamento/remate. A bola ainda tocou num homem do Arouca, fez um chapéu a Bracali e só parou no fundo da baliza.
O Arouca tentou a reação de imediato. E Walter, logo a seguir, num cabeceamento na área, atira à trave. Era a primeira vez, mas não seria a única.
Apesar de estar em vantagem, o Boavista assumia grande parte das despesas do ataque, Carraça e Idris encarregues de servirem como primeira barreira defensiva, estiveram muito bem nas recuperações de bola, lançando depois a bola para a frente. E para a frente significou quase sempre para Renato Santos. O jovem extremo do Boavista tomou conta do corredor e, muito rápido na progressão com bola, e preciso nos cruzamentos, ia colocando a bola na área.
O perigo ia rondando novamente a baliza de Bracali. Um destes cruzamentos foi defendido pelo guardião arouquense com os pés e sobre depois para Schembri, que acabou por não chegar para a emenda. Mas, logo a seguir, novamente de bola parada, o golo chegou.
Renato Santos bateu um livre do meio campo. A bola seguiu teleguiada para a área, onde Lucas saltou mais alto do que toda a gente para fazer o 2-0. Estavam cumpridos apenas 25 minutos de jogos, e, apesar de o Arouca continuar à procura do golo, o Boavista manteve-se focado, soube fechar os espaços sem nunca desistir de jogar ofensivamente, e conseguiu manter a vantagem até ao final.
A prova disso é que, se e certo que Walter voltou a atirar a bola à trave, e fez outra passar pertinho do poste, o Boavista, por Renato Santos, Fábio Espinho, e Digas, que entrou muito bem no jogo, também esteve muito perto do golo.
Na segunda parte, terá ficado por assinalar uma grande penalidade favorável ao Arouca, por mão na área do Boavista num lance de confusão, que o árbitro não conseguiu ver, e outra favorável ao Boavista, por um puxão de Jubal a Schembri.
Os três pontos ficam no Bessa e que podem ser preciosos para esse objetivo de uma temporada tranquila. O Arouca vai agora pensar no jogo de quinta-feira frente ao Olympiacos do playoff da Liga Europa.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Antevisão Boavista FC - FC Arouca



BOAVISTA FC vs FC Arouca, Domingo, 14 de Agosto, às 16:00, no Estádio do Bessa Século XXI
Sócios 5€
Acompanhantes de Sócio 5€ (1 bilhete por 5€ cada, por cada associado)


quarta-feira, 3 de agosto de 2016

BOAVISTA VENCE 2-0 NA APRESENTAÇÃO OFICIAL

O Boavista venceu por 2-0, na apresentação oficial da equipa 2016/2017. Os golos Boavisteiros foram marcados por Fábio Espinho na primeira parte e por Lovro Medic a meio da segunda parte.

Pelo Boavista alinharam na primeira parte Mamadu Bá, Talocha, Renato Santos, Fábio Espinho, Carraça, Henrique, Anderson Carvalho, Tiago Mesquita, Schembri, Idris e Philipe Sampaio. Na segunda parte Meira, Lucas Tagliapietra, Henrique, Edu Machado, Anderson Correia,Tengarrinha, Henrique Martins, Samu, Bukia, Lovro Medic, Luisinho, Digas e Carlos Santos.



domingo, 31 de julho de 2016

Erivelto assinou por duas épocas pelo Boavista.


Avançado possante de 1,84m, com 27 anos, foi o melhor marcador da Segunda Liga na época 2014/2015 com 23 golos pelo Sporting da Covilhã.
Erivelto fez formação no Guarani e tem passagens pelo Palmeiras e Madureira do Brasil. Na última época, jogou no Al-Mesaimeer, no Qatar, onde atuou em 20 partidas, fazendo 8 golos.
Em declarações ao site do Boavista, Erivelto diz-se “muito feliz por chegar a um grande do Futebol Português. Trabalharei para honrar esta camisola.”

sexta-feira, 29 de julho de 2016

BOAVISTA VENCE NACIONAL PELA MARGEM MÍNIMA


O Boavista venceu esta quinta-feira o Nacional por 1-0, num encontro de preparação realizado no Estádio do Leça de Futebol Clube. O congolês Bukia foi o autor do único tento da partida.

Onze do Boavista: Ba, Tiago Mesquita, Philipe Sampaio, Henrique, João Talocha, Idris, Anderson Carvalho, Renato Santos, Fábio Espinho, Digas e Schembri. Jogaram ainda: Bukia, Edu Machado, Lucas Tagliapetria, Luisinho, Samu, Tengarrinha, Idé, Carraça, Anderson Correia e Emin.

Onze do Nacional: Rui Silva, Bhéu, Ghazal, Rodrigo, Sequeira, Washington, Vitor Gonçalves, Tiago Rodrigues, Willyan, Cadiz e Bonilla. Jogaram ainda Campos, Mauro, Luís Silva, Hamzaoui, Vitor Hugo, Roniel e Marna.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

LOJA AXADREZADA ABERTA NO SÁBADO

Na próximo Sábado, dia 30 de Julho, será aberta a público a nova Loja Axadrezada, sita na Bancada Poente do Estádio do Bessa.
Haverá, a partir das 17H00, uma Sessão de Autógrafos com alguns Jogadores do Plantel, que estarão também disponíveis para autografar quaisquer produtos pelos Associados.

A inauguração oficial decorrerá no dia 1 de Agosto, data em que o Boavista Futebol Clube celebra 113 Anos de História.
Porto, 28 de Julho de 2016

JOGO DE APRESENTAÇÃO COM O CELTA DE VIGO

Informa a Boavista, SAD, que na 4ª feira, dia 3 de Agosto, pelas 18H30, haverá lugar à apresentação oficial da Equipa do Boavista aos Associados, após o que, pelas 19H30, haverá um Jogo Particular com o Celta de Vigo.

Haverá entrada gratuita para todos os Associados que já tenham adquirido ou venham a adquirir qualquer destes produtos:
- Quota Anual;
- Lugar Anual;
- Cativo;
- Camarote de Associado.
Para os demais Associados com as quotas em dia, o ingresso terá o custo de 3 Euros, tendo direito a 3 Bilhetes de Acompanhante ao mesmo preço.
- Para o Público em Geral, o preço será de 10 Euros.
Mais informações serão dadas oportunamente.
Porto, 27 de Julho de 2016
A Administração da Boavista F.C., Futebol, SAD

domingo, 24 de julho de 2016

3ºTorneio Capital do Móvel

Com menos 1 dia de descanso, o Boavista perdeu 1-0 com o Paços de Ferreira Boavista.

Sanchez aproveitou o torneio -no final do Estágio- para experimentar diferentes esquemas táticos e diferentes onzes. Não obstante o cansaço, o Boavista foi dominador em ambas as partidas tendo proporcionado bons momentos de futebol.

O Boavista alinhou com: Meira na baliza, Correia, Henrique, Carlos Santos e Edu Machado, Tengarrinha, Henrique Martins e Fabio Espinho na frente Bukia, Luisinho e Idé. Jogaram ainda Renato, Philipe, Abner, Makhmudov, e Edu e Reuben.



BOAVISTA empata, nos 90 minutos, a 1 bola com Vitória, com golo de Anderson Carvalho. Pelo Boavista alinharam: Bá na baliza, Talocha, Henrique, Philipe e Mesquita, Carraça, Carvalho, Idris e Samu, na frente Digas e Schembri. Jogaram ainda Tengarrinha, Luisinho, Bukia e Idé.

Após desempate por grandes penalidades o BOAVISTA venceu por 5-4.



sexta-feira, 22 de julho de 2016

EMIN MAKHMUDOV ASSINOU PELO BOAVISTA


Emin Makhmudov, médio, de 24 anos, nasceu no Azerbaijão, possuindo também nacionalidade Russa, chega ao Bessa depois de representar equipas como o Mordovia Saransk e o Spartak de Moscovo. Assíduo nas Seleções jovens da Rússia, fez 15 jogos pelos sub-21, e 6 pelos sub-19.
Emin assinou pelo Boavista por duas épocas e, em declarações ao site oficial, diz-se “muito feliz. É um sonho tornado realidade”.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

LUCAS TAGLIAPIETRA ASSINOU PELO BOAVISTA


Lucas Tagliapietra, defesa central esquerdino, brasileiro, com 25 anos e 1,94m, que na época passada representou o Hamilton, da Primeira Liga Escocesa, tendo disputado 34 jogos e apontado 4 golos, assinou por duas épocas com o Boavista.
Após chegar e assinar contrato, o jogador seguiu para Melgaço onde se juntou aos seus novos companheiros.
Lucas em declarações ao site do Boavista, revelou-se “muito entusiasmado por pertencer a um clube com tanta história” e acrescentou “estou pronto para este grande desafio”.

3º Torneio Capital do Móvel

Estádio Capital do Móvel

BOAVISTA FC vs Vitória SC - sábado, 23 de Julho às 18:30

BOAVISTA FC vs FC Paçoes de Ferreira - domingo,24 de Julho às 18:30



quarta-feira, 20 de julho de 2016

IDÉ ASSINOU POR 3 ÉPOCAS


Idé, avancado de 22 anos com 2,04m, que cumpriu periodo de experiência desde o início dos treinos, mereceu aprovação pela Equipa Técnica, pelo que assinou contrato por 3 Épocas com o Boavista.

O jogador, que representava na época passada o Alcanenense, tendo apontado 8 golos, e que marcou em todos os 3 Jogos-Treino até agora realizados, afirmou que "assinar pelo Boavista trata-se de um sonho tornado realidade. Vou continuar a trabalhar com humildade para ver se fico no plantel".

Fábio Espinho assina pelo Boavista, por duas épocas


Fábio Ricardo Gomes Fonseca, conhecido por Fábio Espinho, assina pelo Boavista, por duas épocas, após se desvincular do Málaga, onde fazia pré-época. 

O médio ofensivo, de 30 anos e 1,74m, na última época representava o Moreirense - por empréstimo do Málaga. 
Em Moreira de Cónegos fez 17 jogos e apontou 2 golos. 
 
Passou por clubes como o Futebol Clube do Porto (onde fez formação), Leixões, e também Ludogorets Razgrad , da Bulgária, onde jogou na Liga dos Campeões.
O médio criativo, em todos os clubes onde jogou, assumiu uma média de mais 30 jogos por época. 

Fábio Espinho, em declarações ao site do Boavista, diz-se "muito feliz por assinar por este grande clube. O Boavista é um dos grandes de Portugal e isto significa um grande salto na minha carreira".

sexta-feira, 15 de julho de 2016

CALENDÁRIO LIGA NOS 2016/2017


INFORMAÇÃO - ÉPOCA 2016/2017

Vem a Boavista Futebol Clube, Futebol, SAD, para os devidos efeitos, informar o seguinte:
1. Atendendo à excelente entrega ao trabalho dos Jogadores que estão a fazer a Pré-Época, foi decidido, antes de tomar decisões sobre algumas cedências, que todos fossem fazer o Estágio em Melgaço, que se inicia amanhã.
2. As excepções são Alex Júnior, que será cedido, e Hackman, que por motivos particulares e pessoais ainda não integrou os trabalhos, pelo que também será cedido.
3. Integrarão ainda o Estágio, estando a ser observados, os Jogadores Mohamed Faraj (Defesa Central) e Idé (Avançado).
4. Haverá ainda seguramente entradas no Plantel, de acordo com as ideias da Equipa Técnica, que estão a ser devidamente tratadas, e serão oportunamente divulgadas.
Porto, 15 de Julho de 2016
A Administração da Boavista F.C., Futebol, SAD

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Lovro Medić assina pelo Boavista por três épocas.

O avançado de 25 anos e 1,89 metros, é natural de Zagreb, Croácia. Lovro, representava na época finda o NK Zagreb, da Primeira Liga Croata, onde marcou 13 golos - na Liga e Taça Croata - e se estabeleceu como um dos jogadores mais utilizados do plantel.
Quando questionado, pelo site do Boavista, o porquê de escolher as panteras, Lovro não hesita: “no meu pais toda a gente conhece o Boavista pelas competições europeias e pelo campeonato que ganharam. Depois, vi o Estádio, fui conhecer melhor a história do clube, a força dos adeptos... e a escolha foi fácil”.


segunda-feira, 27 de junho de 2016

Mohamed Daf no Boavista!

Mohamed Daf, internacional senegalês de 22 anos, assina pelo Boavista por três épocas.
O possante médio esquerdino, de 1,85 metros, cobre toda a zona do meio campo: o chamado “número 8”, ou também apelidado de médio box to box, podendo também jogar a médio defensivo.
Foi formado no Anderlecht, passou pelo RSC Charleroi - da primeira liga belga – e este ano representou o Royal White Star Bruxelles.
Ao site oficial confessou-se “muito feliz por assinar pelo Boavista. É um novo desafio para mim, e espero ficar por cá por muitos anos”.


sexta-feira, 17 de junho de 2016

André Schembri no Boavista !

André Schembri, internacional por Malta de 30 anos, ruma ao Bessa por duas épocas.
É um avançado móvel com mais de 100 golos apontados nos diferentes campeonatos em que jogou, como o grego, alemão, húngaro e cipriota. Na última época representava o Omonia, no Chipre, onde consumou 17 golos.
Curiosidade: o pai de Schembri - Mario Schembri - já defrontou o Boavista, em 1979, na extinta Taça dos Vencedores das Taças, quando representava o Sliema Wanderers.
Bem-vindo ao Boavista!