Contagem

web counter free

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Antevisão Boavista FC - Moreirense FC

BOAVISTA FC – Moreirense FC
Sábado , dia 25 de Novembro às 18:15
Preços dos bilhetes
Sócios: 3€
Acompanhantes de Sócio: 7,5€ (cada associado poderá adquirir até 3 Bilhetes)

Público: 15€
Horário das bilheteiras: segunda a sexta, das 9h30 às 12h30, e das 14h00 às 18h00;
sábado, das 9h30 até ao intervalo do jogo, 
bilheteira nascente: das 16:00 até ao intervalo do jogo.

sábado, 4 de novembro de 2017

Segunda Derrota Consecutiva

CD TONDELA-3 BOAVISTA FC-2
Liga Nós Época 2017-2018 11ºJornada
4 de Novembro de 2017 - 16h
Estádio João Cardoso em Tondela
 Árbitro :João Pinheiro(A.F.Braga)


GR:Claúdio Ramos GR:Vágner da Silva
DD:David Bruno DD:Carraça(Kuca 87')
 DC:Ricardo Costa DC:Stéphane Sparagna
DC:Yordan Osorio  DC:Raphael Rossi
DE:Joãozinho DE:João Talocha
MC:Claude Gonçalves MC:Idrís Mandiang
MC:Hélder Tavares MC.David Simão
MC:Pedro Nuno MC:Fábio Espinho
ED:Miguel Cardoso ED:Renato Santos
EE:Murilo Freitas EE:Mateus
PL:Tomané  PL:Rui Pedro(Yusupha Nije 55')(Rochinha 72')
Treinador:Pepa               Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Stéphane Sparagna 76',João Talocha 80' e Ricardo Costa 83'.

Golos: Raphael Rossi 64',Fábio Espinho 69',Murilo Freitas 77'(g.p.),Tomané 78' e Murilo Freitas 85'.


O Tondela foi mesmo por estradas sinuosas, mas tirou uma grande pedra do seu caminho, e alcançou a segunda vitória caseira consecutiva. Os beirões escolheram um atalho difícil, estiveram a perder por dois golos e diferença, mas alcançaram mesmo o trilho dos triunfos que tanto pretendiam.
O Boavista é que fica com uma pedra no sapato, pela vantagem que desperdiçou, e que deixa o adversário deste sábado a apenas um ponto de si na classificação.
Mérito para Pepa, que mexeu muito bem na equipa e viu dois jogadores suplentes a assumirem papéis de destaque numa reviravolta "à Tondela", que aconteceu em menos de dez minutos.
Promessas de golos por cumprir
Numa primeira parte de futebol positivo e várias oportunidades de golo para ambas as equipas, faltaram apenas os golos a dar cor ao marcador.
O Tondela entrou mais autoritário e a querer chegar à vantagem cedo, desperdiçou duas boas ocasiões de golo, ambas por Pedro Nuno. Na primeira, logo no primeiro minuto, o médio criativo surgiu a cabecear no interior da área para excelente intervenção de Vágner. E depois, aos 14 minutos, em boa posição para finalizar, rematou cruzado muito ao lado.
Com o tempo o Boavista começou a crescer na partida e equilibrar até nas oportunidades de golo, ficando perto de marcar duas vezes dentro do minuto 19.
Primeiro foi Rossi a obrigar Cládio Ramos a uma defesa muito difícil para canto, do qual surgiria a melhor ocasião de golo. Idris subiu mais do que toda a gente no interior da área do Tondela, mas o seu cabeceamento embateu no poste e nem na recarga o senegalês conseguiu inaugurar o marcador.
O Tondela mostrava dificuldades em chegar ao último terço do terreno, com os “axadrezados” a cerrarem todos os caminhos para a baliza de Vágner, e seria a equipa da casa a voltar a estar muito perto do golo, por David Simão.
Aliás, o médio português ainda deve estar a tentar perceber o que aconteceu naquele minuto 27, quando, após canto da direita, só precisava de encostar, mas enrolou-se com a bola e acabou por impedir que ela entrasse na baliza de um atónito Cláudio Ramos, e para desespero dos adeptos do Boavista que, ali a poucos metros, ainda gritaram golo.
Nada feito, porém, para as intenções dos boavisteiros, ou para os bons dez minutos finais do Tondela, que voltou a tentar desfazer o nulo, mas voltou a esbarrar na ineficácia dos seus homens da frente.
Era um extra de emoção para o jogo, por favor!
Na segunda parte, voltou a ser a equipa da casa a entrar melhor e a estar perto do golo, aos 53', quando Murilo, Osorio e Miguel Cardoso, à vez, num lance muito confuso, não conseguiram acertar com a baliza de Vágner.
A partir daí veio a emoção em forma de golos. Rossi deu vantagem ao Boavista aos 63' e cinco minutos depois, Fábio Espinho dilatou a vantagem.
O médio boavisteiro permitiu a defesa de Cláudio Ramos na transformação de uma grande penalidade a castigar falta de Ricardo Costa sobre Yusupha, mas marcou na recarga o golo que parecia ser o da tranquilidade.
Só que o Tondela parece gostar de desafios que aparentam ser impossíveis. As provas disso no seu historial na I Liga sucedem-se, e neste sábado surgiu mais uma.
Pepa mexeu na equipa ainda antes da marcação da grande penalidade, colocando Heliardo ao lado de Tomané e abdicando de lateral David Bruno, para colocar Tyler Boyd na frente, fazendo recuar Miguel Cardoso.
E a receita não demorou a fazer efeito. O extremo neo-zelandês conquistou uma grande penalidade que Murilo aproveitou para reduzir a desvantagem (77') e um minuto depois, Heliardo asssitiu Tomané, para o golo do empate.
As gentes de Tondela galvanizaram-se, os homens de Pepa foram na corrente e, num filme que parece repetido na cidade beirã, a reviravolta aconteceu mesmo, quase no último suspiro, aos 85 minutos, quando Murilo bisou e deu a vitória aos auriverdes que, com 12 pontos, respiram fundo.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Antevisão CD Tondela - Boavista FC



DESLOCAÇÃO A TONDELA
RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

CD Tondela vs BOAVISTA FC
(4 de Novembro, sábado às 16:00 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Tondela, no próximo sábado , dia 4 de novembro.

PREÇOS
Bilhete + transporte: 12,5euros
Apenas bilhete de jogo: 10euros

Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sábado, dia 4 de novembro às 13:30 horas, na Pantera.

Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS A TONDELA!

sábado, 28 de outubro de 2017

Primeira Derrota na Era Jorge Simão

BOAVISTA FC-0 FC PORTO-3
Liga Nós 10ºJornada 2017-2018
28 de Outubro de 2017 - 20H30M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Hugo Miguel(A.F.Lisboa)

GR:Vágner da Silva   GR:José Sá
DD:Carraça  DD:Ricardo Pereira
 DC:Stéphane Sparagna(Rochinha 76')  DC:Felipe
DC:Raphael Rossi  DC:Iván Marcano
DE:João Talocha DE:Alex Telles
MC:Idrís Mandiang  MC:Danilo Pereira(Diego Reyes 91')
 MC:David Simão MC:Héctor Herrera
MC:Fábio Espinho(Rochinha 82')  EE:Jesús Corona(André André 71')
ED:Renato Santos ED:Yacine Brahimi
EE:Kuca8Mateus 65') 79 PL:Vincent Aboubakar(Maxi Pereira 86')
PL:Yusupha Nije(Leonardo Ruiz 76') PL:Moussa Marega 

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Sérgio Conceição

Cartões Amarelos:Héctor Herrera 23',,Raphael Rossi 32',Carraça 40',Iván Marcano 43',Yusupha Nije 47',Vincent Aboubakar 51',Jesús Corona 65',Idrís Mandiang 90' e Danilo Pereira 90'.

Golos:Vincent Aboubakar 50',Moussa Marega 80' e Yacine Brahmi 86'.

O FC Porto manteve a liderança da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa do Boavista, por 3-0, em jogo da 10.ª jornada, este sábado à noite.




O camaronês Vincent Aboubakar (50), o maliano Moussa Marega (80) e o argelino Yacine Brahimi (86) marcaram os golos dos dragões, que passaram a somar 28 pontos, mais dois do que o Sporting e cinco do que o Benfica, que já tinham vencido nesta ronda.
O Boavista, que somou a primeira derrota no campeonato desde a entrada do treinador Jorge Simão, à sexta jornada, ocupa o oitavo posto, com 13 pontos.
Depois de uma primeira parte sem golos, os dragões adiantaram-se no marcador aos 50 minutos, por Aboubakar, fizeram o 2-0 aos 80, por Marega, e o 3-0 aos 86, por Brahimi.
O guarda-redes José Sá fez o seu segundo jogo consecutivo para o campeonato e Danilo viu um amarelo, aparentemente de forma deliberada, que o tira do da próxima jornada, na receção ao Belenenses.
O FC Porto interrompeu ainda a série de quatro jornadas seguidas sem perder do Boavista de Jorge Simão, que caiu para o oitavo posto, por troca como Belenenses.
O onze do FC Porto foi o que se esperava e a equipa procurou desde o início empurrar o Boavista para junto a sua área, mas foram dos ‘axadrezados’ os primeiros dois cantos, o segundo dos quais após o gambiano Yusupha passar por Felipe e forçar José Sá a uma saída decisiva aos seus pés.
Depois desse lance, o jogo tornou-se mais repartido e sem tendência definida, com a bola no meio campo de uma e de outra equipa, e só aos 12 minutos é que os ‘dragões’ conseguiram o primeiro canto.
O Boavista apostou num meio-campo composto por quatro unidades, tentou evitar que o FC Porto saísse em posse e procurou atacar rapidamente o portador da bola e com isso inviabilizar o mais depressa possível as veleidades ofensivas dos portistas.
Desse modo, os 20 primeiros minutos foram de grande equilíbrio, com muita luta a meio campo e sem situações de perigo para ambas as balizas.
A primeira situação de perigo clara foi do Boavista, aos 22 minutos, por Yusupha, que tentou surpreender José Sá com um toque de habilidade, ao qual o guardião portista correspondeu com uma intervenção que evitou que a bola fosse para a baliza.
Com aquele e outros apontamentos e alguma mobilidade, o gambiano Yusupha, que fez a sua estria a titular, conseguiu criar problemas à defesa adversária e conquistar algumas faltas e deixou boas indicações, perfilando-se com uma séria opção para o ataque boavisteiro.
Depois de mais um período de grande equilíbrio, com muita entrega e muitos duelos individuais, o Boavista voltou com perigo à área portista, aos 41 minutos, por Kuca, e o FC Porto esteve pela primeira vez perto do golo aos 44, depois de um cruzamento largo de Alex Telles a que Corona correspondeu com um remate de primeira, mas para fora.
A primeira parte acabou sem golos e a segunda começou praticamente com o golo do FC Porto, o oitavo de Aboubakar para o campeonato, aos 50. Corona cruzou, Brahimi ganhou a bola nas costas de Carraça, cruzou, e o camaronês, à boca de baliza, só teve de empurrar para o fundo da baliza de Vagner.
O primeiro erro do Boavista foi quanto bastou aos ‘dragões’ para se adiantarem no marcador, depois de um primeira parte em que o Boavista conseguira bloquear tanto Brahimi como Corona, os principais motores do ataque azul e branco, e jogou de igual para igual com o adversário.
O golo deu ao FC Porto o espaço que não tinha tido no primeiro tempo para atacar, porque o Boavista subiu mais no terreno e desguarneceu um pouco o seu meio campo.
Ainda assim, o Boavista conseguiu aproximar-se da baliza de José Sá e podia até ter empatado num lance em que Mateus, em plena área portista, fez quase tudo bem, menos acertar na baliza.
O Boavista dispôs de nova ocasião pouco depois dos 70 minutos, por Idris, acreditou que podia empatar, arriscou cada vez mais e expôs-se também cada vez mais ao contra-ataque mortífero da equipa de Sérgio Conceição, que aos 80 minutos fez o 2-0, por Marega, que assim marcou igualmente o seu oitavo golo.
Implacável e demolidor das transições defesa-ataque, em especial após o intervalo, o FC Porto aproveitou bem o que o jogo lhe deu e nem sequer precisou de fazer uma exibição espetacular no plano técnico. Sofreu quando foi preciso, trabalhou duro, porque o Boavista tem um futebol que o exige, e atingiu o seu opositor quando ele se pôs a jeito.
Com a equipa já de braços caídos, Brahimi fez o 3-0 e o FC Porto, confiante e pujante, esteve até muito perto de uma goleada.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Antevisão Boavista FC - FC Porto

BOAVISTA FC x FC Porto
Sábado, dia 28 de Outubro, às 20:30

PREÇOS DOS BILHETES
SÓCIOS: 5 euros
Acompanhante de sócio: 15 euros* (disponíveis em número limitado e apenas para sócios contribuintes - 1 por associado)
*Nas zonas exclusivas para sócios do Boavista, por questões de segurança, não serão permitidos adereços do clube visitante, ou quaisquer outros além do visitado.
Todos deverão adquirir os seus ingressos nos locais oficiais próprios ou através dos meios oficiais e verificar bem para que local exacto os estão a adquirir. Quem não o fizer será o responsável, caso fique sujeito às medidas acima mencionadas.

PÚBLICO
Bancada Norte Nível 2: 20 euros**
Bancada Norte Nível 1: 25 euros**
Bancada Nascente Nível 3: 35 euros**
Bancada Nascente Nível 2 (Executive Seats): 55 euros**

Os preços e medidas agora determinados serão exactamente iguais para os jogos com SL Benfica, FC Porto e Sporting CP.
** Apenas serão vendidos no máximo 3 bilhetes de público por pessoa na bilheteiras do Estádio do Bessa Século XXI.
Horários das bilheteiras: Segunda a sexta, das 9h30 - 12:30, e das 14h00 - 18h00. Sábado das 9:30 até ao intervalo do jogo
Outras informações adicionais serão comunicadas oportunamente.


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Primeira Vitória da Época Fora

GD ESTORIL-0 BOAVISTA FC-3
Liga Nós Época 2017-2018 9ºJornada
20 de Outubro de 2017 - 20h30
Estádio António Coimbra da Mota no Estoril
 Árbitro :Tiago Martins(A.F.Lisboa)


GR:José Moreira GR:Vágner da Silva
DD:Mano DD:Carraça
 DC:Lucão DC:Stéphane Sparagna
DC:Gonçalo Brandão  DC:Raphael Rossi
DE:Abner(André Claro 54') DE:João Talocha
MC:Wesley(Eduardo 41') MC:Idrís Mandiang
MC:Lucas Evangelista MC.David Simão
MC:Matheus índio  MC:Fábio Espinho(Rochinha 86')
ED:Ayton Boa Morte(Victor Andrade 78') ED:Renato Santos
EE:Allano EE:Mateus(Kuca 60')
PL:Bruno Gomes  PL:Rui Pedro(Yusupha Nije 70')

Treinador:Pedro Emanuel               Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:David Simão 21',Stéphane Sparagna 30',Vágner da Silva 35',Eduardo 54',Raphael Rossi 65' e Gonçalo Brandão 82'.

Golos: Carraça 20',Rui Pedro 33' e Kuca 92'.


O Boavista ganhou, esta sexta-feira à noite, no terreno do Estoril-Praia (0-3), em jogo a contar para a nona jornada da I Liga de futebol. Foram os primeiros três pontos fora do Bessa arrancados pelos axadrezados esta temporada.






De tombo em tombo e não há meio de o Estoril se reerguer e mostrar a qualidade que teve na época passada após Pedro Emanuel assumir a equipa. Aliás, está muito longe disso. Em futebol jogado e em resultados.

Houve algumas mudanças da época passada para esta, mas bem sabemos de quem é sempre a culpa. Aguentará Pedro Emanuel? 

A equipa canarinha voltou a perder esta sexta-feira, agora no arranque da nona jornada da Liga e diante do Boavista de Jorge Simão que, ainda que também tenha sido eliminado na Taça de Portugal na terceira eliminatória, tal como o Estoril, continua a subir na tabela. 

0-3 no António Coimbra da Mota, oitava derrota consecutiva do Estoril, a quinta para o campeonato e o último lugar na tabela. Seis pontos apenas para a equipa canarinha, resultado de dois triunfos ainda em agosto.

Já o Boavista soma 13 pontos e subiu, à condição, ao sétimo lugar da Liga antes de receber o FC Porto no Bessa, na décima ronda com campeonato.

Triunfo justo da equipa axadrezada que foi superior no terreno do Estoril e conseguiu traduzir a superioridade em golos. O primeiro de bola parada, o segundo após perda de bola do Estoril e que bem traduz o momento.

Sem Edu Machado e Tiago Mesquita, ambos lesionados, Jorge Simão voltou a apostar em Carraça - que já tinha jogado contra o Vilaverdense para a Taça - e o lateral direito, para além de ter mostrado segurança na defesa, abriu o marcador com um golaço. 

Minuto 20, livre frontal com David Simão também preparado para bater, mas quem bateu foi o lateral. Pé direito, a barreira abriu-
se e Moreira nem se mexeu vendo a bola entrar-lhe na baliza pelo lado esquerdo.

0-1 madrugador a dar conforto ao Boavista, que pouco tremeu com o Estoril. Sem Kléber, devido a castigo, Lucas Evangelista e Allano destacaram-se do outro lado, mas, ainda assim, sem conseguirem levar grande perigo à baliza de Vagner. Quando isso aconteceu - Lucas Evangelista e Lucão tentaram o golo de cabeça -, o guarda-redes mostrou-se atento.

Menos bem esteve sempre o meio-campo do Estoril que aos 33 minutos deixou David Simão recuperar uma bola e lançar Fábio Espinho, que acabou por desmarcar Rui Pedro e com isso deixar o Boavista chegar ao 0-2. O avançado emprestado pelo FC Porto entrou na área, levou a melhor sobre Gonçalo Brandão e rematou certeiro.

Pedro Emanuel mexeu de seguida, fez entrar Eduardo para o lugar do apagado Wesley, ainda antes do intervalo, mas a mudança não mudou o rumo dos acontecimentos. O Estoril melhorou um pouco, mas não o suficiente.

Na segunda metade, mais do mesmo, mas no geral a qualidade desceu. Notou-se bastante a falta de ritmo, provavelmente pela ausência de jogos nas últimas três semanas, mas o Boavista continuou a ser superior.

Algumas jogadas mais conseguidas de parte a parte, mas novo golo só já ao cair do pano. Foi Kuca, que entrou para o lugar de Mateus que, no regresso a uma casa que bem conhece, selou o marcador. Canto e remate cruzado sem hipóteses para Moreira. Foi feliz e não festejou. O momento foi delicado, como é o do Estoril neste momento.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Antevisão GD Estoril-Praia - Boavista FC


DESLOCAÇÃO AO ESTORIL
RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
GD Estoril Praia vs BOAVISTA FC
(20 de Outubro, sexta-feira às 20:30 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação ao Estoril, na próxima sexta-feira, dia 20 de Outubro.
PREÇOS 
Bilhete + transporte: 15euros
Apenas bilhete de jogo: 10euros

Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sexta-feira, dia 20 de Outubro às 15 horas, na Pantera.
Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS AO ESTORIL!

domingo, 15 de outubro de 2017

Eliminados da Taça de Portugal

VILAVERDENSE FC-1 BOAVISTA FC-0

Taça de Portugal 2017-2018 3ºEliminatória
15 de Outubro de 2017 - 15h
Campo Cruz do Reguengos em Vila Verde
 Árbitro :Rui Costa(A.F.Porto)


GR:Pedro Freitas GR:Vágner da Silva
DD:Pedro Lemos DD:Carraça
 DC:Néne DC:Stéphane Sparagna(Rochinha 72')
DC:Rafael Vieira  DC:Raphael Rossi
DE:João Carneiro DE:João Talocha
MC:Ibraima Só MC:Idrís Mandiang(Leonardo Ruiz 80')
MC:Ahmed Ishai(André Salvador 74') MC.David Simão
MC:Latyr Fall MC:Fábio Espinho
ED:André Soares(Pedro Silva 68') ED:Renato Santos
EE:Rafa Miranda EE:Mateus(Kuca 62')
PL:José Pedro(José Santos 86')  PL:Rui Pedro

Treinador:José Couceiro                Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Rui Pedro 96'.

Golos: Rafael Vieira 45'.





O Boavista foi afastado da Taça de Portugal ao perder, este sábado à tarde, com o Vilaverdense, (1-0) em Vila Verde, distrito de Braga, clube que milita no Campeonato de Portugal, o terceiro escalão do futebol nacional.


Um golo de Rafael Vieira em cima do intervalo garantiu a vitória ao Vilaverdense. O Boavista apresentou-se algo sobranceiro e foi surpreendido pela alma dos minhotos.
A equipa de Jorge Simão, que no final enfrentou a fúria dos muitos adeptos dos axadrezados presentes, até podia ter inaugurado o marcador aos 12 minutos, mas o remate de Rui Pedro embateu na barra e, na recarga, o cabeceamento de Mateus saiu à figura do guardião Pedro Freitas.
Talvez pensando que, mais tarde ou mais cedo o golo surgiria, o Boavista jogou quase sempre em baixa rotação, permitindo que o Vilaverdense fosse equilibrando a contenda, assentando essa reação sempre mais na vontade do que em futebol bem jogado.
Aos 41 minutos, Ahmed Isaih ameaçou com um forte remate de fora da área que Vagner não conseguiu parar à primeira e, em cima do intervalo, o Vilaverdense chegou mesmo ao golo.
Rafael Vieira, ao segundo poste, antecipou-se a defesas e guarda-redes boavisteiros e desviou para o fundo da baliza um livre cobrado por Ahmed Isaiah.
Com um resultado para virar, o Boavista lançou-se ao ataque, mas, com poucas ideias, não conseguia entrar no último reduto dos minhotos e pertenceu mesmo a estes uma clara ocasião de golo, por Rafa Miranda, após excelente iniciativa individual pelo lado esquerdo (51 minutos).
Jorge Simão mexeu na equipa pela primeira vez aos 62 minutos, mas só arriscou verdadeiramente com as entradas de Rochinha (72) e Leonardo Ruiz (80), retirando um central e um médio defensivo.
O Boavista intensificou a produção atacante, com muitos homens na frente, mas não jogou melhor por isso e o Vilaverdense segurou o triunfo.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Antevisão Taça de Portugal VilaVerdense FC - Boavista FC


DESLOCAÇÃO A VILA VERDE
Vilaverdense vs BOAVISTA FC 
(15 de Outubro, às 15 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Vila Verde, no próximo Domingo, dia 15 de Outubro.
PREÇOS 
Bilhete + transporte: 12euros
Apenas bilhete de jogo: 7euros

Partida: 13 horas, na Pantera.
Alertamos todos os associados que, devido à capacidade reduzida do estádio (900 lugares), o número de bilhetes disponibilizados são em número limitado.
Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS A VILA VERDE!

sábado, 30 de setembro de 2017

Com o Novo Treinador Ainda Não Perdemos

BOAVISTA FC-1 CD FEIRENSE-0
Liga Nós 8ºJornada 2017-2018
30 de Setembro de 2017 - 18H15M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Manuel Mota(A.F.Braga)

GR:Vágner da Silva   GR:Caio Secco
DD:Tiago Mesquita   DD:Jean Sony
 DC:Stéphane Sparagna  DC:Luís Rocha
DC:Raphael Rossi  DC:Briseno
DE:João Talocha DE:Tiago Gomes
MC:Idrís Mandiang  MC:Cris Santos(João Graça 79')
 MC:David Simão MC:Luís Aurélio8Edsón Fárias 65')
MC:Fábio Espinho(Rochinha 82')  EE:Tiago Silva
ED:Renato Santos ED:Babanco(Luís Machado 65')
EE:Mateus(Kuca 79') PL:Etebo
PL:Iván Bulos(Rui Pedro INT) PL:João Silva

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Nuno Manta Santos

Cartões Amarelos:Tiago Silva 23',David Simão 24',Fábio Espinho 45',Jean Sony 45',Raphael Rossi 45',Babanco 54' e Tiago Gomes 90'.

Golos:Renatos Santos 37'.





O Boavista ascendeu este sábado, provisoriamente, ao sétimo lugar da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Feirense por 1-0, mantendo-se invicto na era Jorge Simão, em encontro da oitava jornada.


Um golo de Renato Santos, aos 38 minutos, valeu o terceiro triunfo na prova aos axadrezados, que, depois da mudança de técnico, já tinha batido o Benfica (2-1) e empatado no reduto do Vitória de Setúbal (1-1).
Com este resultado, o Boavista passou a contar 10 pontos, enquanto o Feirense manteve-se com oito, caindo, para já, no 12º posto.
Depois de terem batido o Benfica (2-1) e empatado fora com o Setúbal (1-1), os axadrezados fizeram frente ao Feirense a melhor exibição da época e impuseram-se ao Feirense graças a um golo de Renato Santos, a dar sequência um grande cruzamento de Talocha.
A equipa de Jorge Simão foi quase sempre superior ao adversário, através de um futebol rápido e incisivo, e depressa, aos cinco e aos 12 minutos, criou as primeiras situações de perigo junto à baliza de Caio.
Pouco depois, Iván Bulos caiu no relvado, queixando-se da cabeça, foi aí assistido e chegou a ser pedida a sua substituição, mas o dianteiro peruano recuperou e manteve-se em campo até ao intervalo, altura em que foi substituído por Rui Pedro, porque, explicou depois o treinador, sentiu tonturas.
Dominador, confiante e com mais iniciativa e clarividência atacante, o Boavista manteve a pressão sobre o Feirense e, aos 38 minutos, acabou por ser premiado com um golo, por Renato Santos, que foi um dos melhores homens em campo.
O Feirense criou perigo após um passe falhado de Mateus e depois, aos 45+3 minutos, num livre direto cobrado opor Babanco, com Vagner a sacudir a bola para canto.
Na segunda parte, o Boavista manteve o seu ascendente quase até ao fim e o Feirense raramente incomodou a sério Vagner, tendo revelado grandes dificuldades para chegar com perigo à área ‘axadrezada’.
Idris, de cabeça, e Mateus, com um remate forte, ameaçaram, fazer o segundo golo para o Boavista, que aos 62 minutos construiu uma grande jogada de ataque, com Rui Pedro a servir bem David e este a optar pelo remate, mas por alto, quando podia ter devolvido a bola ao atacante cedido pelo FC Porto.
O Boavista bem tentou fazer o segundo golo, mas não o conseguiu e isso deu alguma esperança ao Feirense e criou alguma ansiedade entre os jogadores locais na ponta final da partida.
Kuca, que substituiu o esgotado Mateus, ofereceu o 2-0 a Renato Santos, mas este chegou atrasado e rematou para as redes laterais da baliza do Feirense.
O Boavista recuou para defender a magra vantagem e o Feirense, finalmente, aproximou-se mais da baliza de Vagner, que, aos 88 minutos, teve de aplicar-se para travar um cabeceamento de Edson Farias que levava selo de golo.