Contagem

web counter free

sábado, 10 de novembro de 2018

Novo Empate Desta Vez no Jamor


CF BELENENSES-0 
BOAVISTA FC-0 


Liga Nós 10ºJornada Época 2018-2019
10 de Novembro de 2018 - 15H30H
Estádio Nacional Jamor(Oeiras)
 Árbitro :André Narciso(A.F.Setúbal)

GR:Muriel Becker GR:Hélton Leite
DD:Reinildo Mandava DD:Carraça
 DC:Vincent Sasso DC:Neris
DC:Nuno André Coelho  DC:Gonçalo Cardoso
DE:Diogo Viana DE:João Talocha
MC:Fredy(Ousmane Dramé 60') MC:Nwanko Obiora
MC:Jonatan Lucca MC:David Simão
MC:André Santos(Gonçalo Silva 76') AMC:Fábio Espinho(Rafael Costa 67')
ED:Eduardo Henrique(Matija Ljujic 67') ED:Rochinha
EE:Lica EE:André Claro(Mateus INT)
PL:Alhassane Keita PL:Rafael Lopes

Treinador:Jorge Silas            Treinador:Jorge Simão

Cartões Amarelos:Hélton Leite 11',Gonçalo Cardoso 28',Eduardo Henrique 41',Mateus 47',Rafael Lopes 56',Fredy 59',Ousmane Dramé 68',Rafael Costa 80',Gonçalo Silva 82',Nwanko Obiora 89' e Vincent Sasso 90'.




Nulo no Jamor e o Boavista perto da zona de descida, em igualdade com Feirense e Tondela. Os axadrezados empataram diante do Belenenses SAD e foram ultrapassados pelo Desportivo das Aves, que venceu o Rio Ave este sábado.


Numa partida nem sempre bem jogada, o Belenenses SAD esteve melhor no primeiro tempo, mas o Boavista cresceu e acabou por conseguir conter o ímpeto dos Azuis, criando até várias oportunidades de golo pelo suplente utilizado Mateus. O angolano tentou mexer com o jogo, mas este era um nulo que se adivinhava.

Estava escrito

O histórico recente de confrontos entre as duas equipas não trazia grandes esperanças para quem queria ver golos. Oito nos últimos nove golos e frente a frente duas equipas que ainda não tinham chegado à dezena de golos na Liga.

O melhor momento de forma sentiu-se no início do encontro, período onde o Belenenses SAD foi superior e colecionou as melhores oportunidades de golo. A equipa de Silas teve quase sempre a bola - 70 por cento de posse ao intervalo -  e apresentou uma dinâmica interessante nos corredores, especialmente no lado direito.
Perante um Boavista mais na expectativa e a defender em bloco baixo, os desequilíbrios de Licá iam dando esperanças aos adeptos do Belenenses, mas Silas, que em tempos falou na falta de eficácia,tinha razões para se queixar dos seus avançados, que deixaram Helton Leite ter uma tarde tranquila enquanto via os remates passarem distantes da sua baliza.

Mateus tentou mudar a história

A equipa axadrezada cresceu com o desenrolar da partida e ao intervalo parecia ter ganho alguma confiança depois de um par de lances perto da área de Muriel, ainda que inofensivos. O Boavista estava definitivamente a melhorar, mas faltava algo para criar perigo. Jorge Simão encontrou a solução no banco de suplentes e a sua equipa regressou muito melhor dos balneários.

Mais pressionante e com as linhas subidas, o Boavista encostou o Belenenses SAD à sua área como até então não tinha acontecido e se Mateus viu amarelo no primeiro minuto que esteve em campo, também foi do angolano que surgiram as melhores oportunidades do encontro. Muriel passou de espectador na primeira parte para principal figura dos azuis na segunda. O guardião brilhou com várias intervenções e manteve a sua equipa viva, mas o Belenenses SAD já não era o mesmo dos primeiros 45 minutos.
A estratégia de Silas parecia ter acabado com o intervalo e tirando alguns ataques rápidos que acabaram por ser facilmente anulados pela defensiva boavisteira, o Belenenses SAD já não conseguia construir jogo com tanta qualidade. A pressão axadrezada tinha ajudado a anular o Belenenses SAD, mas não foi suficiente para a Pantera resgatar três pontos importantes no Jamor, sendo que o empate só aconteceu porque Helton evitou um golo quase certo de Dramé no último minuto da partida.
Com duas partes tão diferentes uma da outra, o empate acaba por ser justo, mas é o Boavista a sair mais penalizado, isto porque o Desportivo das Aves venceu e os axadrezados veem a zona de descida cada vez mais próxima.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Antevisão CF Belenenses - Boavista FC


DESLOCAÇÃO AO JAMOR
BILHETES DISPONÍVEIS A PARTIR DE AMANHÃ , QUARTA-FEIRA, 14:00 NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
BELENENSES SAD vs BOAVISTA FC(10 de Novembro, Sábado, às 15:30 horas)
PREÇOS
Bilhete 10 euros (para associados do Boavista Futebol Clube com quotas em dia - Outubro de 2018)
Bilhete + Autocarro –17,5€ (para associados do Boavista Futebol Clube com quotas em dia - Outubro de 2018)
Partida: Sábado às 10:00 Parque Exterior do Estádio do Bessa.
Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
VAMOS TODOS APOIAR O BOAVISTA
A Provedoria do Associado


sábado, 3 de novembro de 2018

Empate No Bessa

BOAVISTA FC-0 VSC GUIMARÃES-0
Liga Nós 9ºJornada 2018-2019
3 de Novembro de 2018 - 20H30
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Tiago Martins(A.F.Lisboa)

GR:Hélton Leite  GR:Douglas de Jesus
      DD:Carraça  DD:Falaye Sancko
 DC:Neris DC:Yordan Osório
DC:Gonçalo Cardoso  DC:Pedro Henrique
DE:João Talocha DE:Rafa Soares
MC:Nwanko Obiora  MC:Alhassan Wakaso
 MC:Fábio Espinho(André Claro 80') MC:Matheus Oliveira(Hélder Ferreira 70')
MC:Rafael Costa  MC:André André
ED:Mateus(Ibrahim Koneh 74') ED:Tozé
EE:Rochinha  EE:Davidson
PL:Rafael Lopes PL:Alexandre Guedes(Welthon 70')

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Luís Castro

Cartões Amarelos:Nwanko Obiora 26',Pedro Henrique 45',Rafa Soares 57',Wakaso 72',João Talocha 91' e André André 92'



Um sempre quente duelo entre dois emblemas históricos do futebol português merecia mais. Em momentos distintos de forma, Boavista e V. Guimarães não foram além de um nulo e de um pouco entusiasmante jogo de futebol que se jogou mais fora do que dentro das quatro linhas....

O contraste
Desde o primeiro minuto que o apoio vindo da bancada - espetáculo autêntico dos adeptos vimaranenses - se fez ouvir bem alto no Estádio do Bessa. Um cenário bonito e bem à altura de um encontro entre dois clássicos do futebol português cuja rivalidade perdura, embora de forma não tão vincada.
O cenário fora das quatro linhas entusiasmava, mas dentro de campo... nem por isso.
Contam-se pelos dedos das mãos as oportunidades flagrantes de golo e aí o Vitória pode queixar-se da falta de eficácia.
A cautela extrema e a falta de criatividade tomaram conta dos primeiros 45 minutos, mesmo com Guedes, Wakaso e André André a procurarem inverter a situação. A verdade é que Hélton Leite só teve de aplicar-se numa ocasião...
Gerou-se, portanto, um vazio difícil de tapar, ainda que os homens de Luís Castro tenham demonstrado algo mais. Mas soube a pouco, muito pouco...

Um bocadinho mais de emoção
As equipas não mexeram e o futebol praticado acabou por melhorar um bocadinho mais. O Vitória voltou a entrar por cima e obrigou Hélton Leite a duas intervenções apertadas quase de rajada, provocando um aumento de intensidade no decorrer do encontro.
Com o passar do tempo, o Boavista, inofensivo até então, começou a soltar-se. Os principais intervenientes apareceram - Mateus de um lado e Rochinha do outro - e levaram Douglas, imagine-se, a efetuar a primeira defesa aos 68 minutos no momento ofensivo mais bem conseguido da turma axadrezada.
Ainda assim, a ligeira melhoria revelou-se insuficiente. Nenhuma das equipas mostrou acerto nem qualidade para mais. Que pena…

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Antevisão Boavista FC-VSC Guimarães


BOAVISTA FC vs Vitória SC

Sábado dia 3 de novembro, às 20:30

Preços dos bilhetes

Sócios*: 3€

Sócios Menores: entrada Gratuita (obrigatório levantar bilhete)
.

Sócios até aos 14 anos isentos de pagamento de quotas de sócio* - BILHETE GRATUITO

Sócios dos 14 aos 16 anos isentos de pagamento de quotas de sócio* - BILHETE GRATUITO

Sócios dos 16 aos 18 anos - quota de sócio* 4,5€ - BILHETE GRATUITO

*Quota mês de outubro

Acompanhantes de Sócio: 7€ (cada associado poderá adquirir até 1 Bilhetes)

Público:
Topo norte: 20€
VIP: 40€

Horário da Secretaria: Segunda a sexta das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Sábado dia 3 de novembro, das 9:30 até ao intervalo do jogo
.
:
Apelamos a todos os associados e todos os que adquiram bilhetes de jogo para o Estádio do Bessa Séc XXI, que respeitem o lugar indicado nos respectivos bilhetes.

domingo, 28 de outubro de 2018

8 Jogos,5 Derrotas,1 Empate e 2 Vitórias




SPORTING CP-3 BOAVISTA FC-0 

Liga Nós 8ºJornada Época 2018-2019
28 de Outubro de 2018 - 20h
Estádio José de Alvalade em Lisboa
 Árbitro :Carlos Xistra(A.F.Castelo Branco)




GR:Rénan Ribeiro GR:Hélton Leite
DD:Bruno Gaspar DD:Édu Machado
 DC:Sebástian Coates DC:Neris
DC:Jérémy Mathieu  DC:Gonçalo Cardoso
DE:Marcos Acunã(Bas Dost 78') DE:João Talocha
MC:Rodrigo Battaglia MC:Idrís Mandiang(Rafael Costa 44')
MC:Bruno Fernandes MC:David Simão
MC:Nemanja Gudelj AMC:Fábio Espinho(André Claro 75')
ED:Abdoulay Diaby(Bruno César 87') ED:Rochinha
EE:Nani EE:Mateus(Matheus Índio 60')
PL:Fredy Montero(André Pinto 79') PL:Rafael Lopes

Treinador:José Peseiro            Treinador:Jorge Simão

Cartões Amarelos:Marcos Acunã 47',Rochinha 55',Fredy Montero 65',David Simão 65' e Gonçalo Cardoso 69'.






Dos assobios aos aplausos. O Sporting encerrou a jornada 8 com uma vitória por 3x0 frente ao Boavista, numa exibição em crescendo e que até acaba por ser uma das melhores da época. Nani, o caça-panteras, foi a principal estrela do conjunto leonino, que voltou a ter Bas Dost nos minutos finais.

Um triunfo que não mereceu contestação por parte de um Boavista completamente apagado e sem ideias para ombrear com o conjunto leonino. A equipa de Jorge Simão está na metade inferior da tabela, com apenas sete pontos, e há alguns motivos para preocupação, especialmente quando tem de sair do Estádio do Bessa.



Assobios e um regresso ao passado

O bom arranque das duas equipas abriu o apetite para o encontro. Numa noite fria, pedia-se um jogo interessante e com ocasiões de golo. Ao primeiro remate do jogo, de Bruno Gaspar, o Boavista respondeu à letra e só o poste esquerdo da baliza de Renan Ribeiro evitou o golo de Mateus. Foram uns bons cinco minutos. Excelentes, até, tendo em conta o que se seguiu. O Boavista entregou o domínio de jogo aos leões, mas durante grande parte do primeiro tempo a equipa de José Peseiro teve dificuldade para criar perigo e o encontro caiu na monotonia.



Pouca iniciativa, poucos movimentos de desequílibrio e pouca velocidade motivaram muitos assobios vindo das bancadas. Descontentes com as recentes exibições, os adeptos leoninos, que já tinham assobiado José Peseiro antes da partida, mostraram que vinham com rédea curta e não perdoavam a cada passe falhado ou tomada de decisão errada. Talvez um pouco afetados pelos nervos, o certo é que o futebol leonino teve um período mais cinzento, que aos poucos foi ganhando cor.




Com vontade de alterar a história do jogo, o Sporting ficou mais dinâmico e deixou de adotar uma postura estática na partida. Mais movimentado, o ataque leonino começou a encontrar brechas numa defesa axadrezada que chegava sempre tarde demais. Helton ainda evitou que Nani conseguisse inaugurar o marcador de cabeça, mas o capitão do Sporting ganhou a segunda ronda e atirou a contar após cruzamento de Montero. A movimentação leonina fez novamente a diferença e Nani aproveitou para recordar o passado, festejando com um mortal depois de marcar ao Boavista, precisamente a equipa a quem tinha feito o seu primeiro golo pelo Sporting, em 2005.




A morte antes do matador

Cinco minutos disputados, vinte de tréguas e o resto com um Sporting superior. O filme da primeira parte tinha sido assim, mas o golo sportinguista forçava o Boavista a entrar com outra atitude para o intervalo. Jorge Simão fez subir a sua equipa e a verdade é que já houve mais intenção de ter bola, mesmo que daí não viesse nada de novo. O golo tinha dado tranquilidade ao Sporting e isso ajudou a equipa de José Peseiro a controlar o encontro.

Com a tranquilidade veio também a qualidade. É verdade que o jogo estava mais aberto, mas com o evoluir da partida o Sporting subiu muito de rendimento e alguns jogadores que tinham entrado de forma apagada - Diaby, por exemplo - começavam a querer mostrar-se. É a velha lógica, quando o coletivo está bem, o individual tem espaço para brilhar. 



Encontrado o espaço, em dois minutos o Sporting resolveu a partida. Bruno Fernandes fez o golo que procurava desde o início, respondendo da melhor maneira a um passe de Diaby, e dois minutos depois um remate do médio foi desviado por Nani, que ganhou o rótulo de caça-panteras e praticamente resolveu o encontro.

Se o Boavista tinha apresentado poucos argumentos para responder ao primeiro golo, foi impossível responder a três. Os boavisteiros continuaram a tentar, timidamente, mas as melhores ocasiões acabaram por pertencer ao Sporting. Depois de muitos assobios na primeira parte, os adeptos leoninos renderam-se definitivamente aos aplausos na segunda parte. Depois dos golos, foi o regresso de Bas Dost a receber a maior ovação. Derrota do rival Benfica, uma exibição agradável, triunfo e o regresso do goleador, como não terminar a semana a aplaudir?