Contagem

web counter free

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Antevisão FC Paços de Ferreira - Boavista FC



DESLOCAÇÃO A PAÇOS DE FERREIRA

RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

FC Paços de Ferreira vs BOAVISTA FC
(15 de Dezembro, sexta-feira às 20:30 horas)
A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Paços de Ferreira, no próxima sexta feira , dia 15 de Dezembro.
PREÇOS
Bilhete + transporte: 14 euros
Apenas bilhete de jogo: 12 euros
Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sexta feira, dia 15 de Dezembro às 18:30 horas, na Pantera.
Solicitamos, ainda, que haja comportamento correto, por parte de todos, durante a viagem, para não afetar futuras deslocações.
TODOS A PAÇOS DE FERREIRA!
A Provedoria do Associado

sábado, 9 de dezembro de 2017

Derrota Natural

BOAVISTA FC-1 SPORTING CP-3
Liga Nós 14ºJornada 2017-2018
9 de Dezembro de 2017 - 20H30M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Luís Godinho(A.F.Évora)

GR:Vágner da Silva   GR:Rui Patrício
DD:Carraça  DD:Cristian Piccini
 DC:Stéphane Sparagna  DC:Sebástian Coates
DC:Raphael Rossi  DC:Jéremy Mathieu
DE:João Talocha DE:Fábio Coentrão
MC:Idrís Mandiang  MC:William Carvalho
 MC:David Simão MC:Bruno Fernandes(Bryan Ruiz 88')
MC:Fábio Espinho(Aymen Tahar 81')  EE:Bruno Cesár(Marcos Acunã 58')
ED:Kuca(Mateus 61') ED:Gelson Martins
EE:Vítor Bruno(Rui Pedro 68')  EE:Daniel Podence(Rodrigo Battaglia 63')
PL:Rochinha PL:Bas Dost

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Jorge Jesus

Cartões Amarelos:Sebástian Coates 24',Fábio Coentrão 88' e Stepháne Sparagna 92'.

Golos:Fábio Coentrão 48',Bas Dost 63',Mateus 65', e Bas Dost 67'.



O Sporting isolou-se este sábado na liderança da I Liga de futebol, com mais um encontro disputado do que o FC Porto, que entra em campo este domingo no terreno do V. Setúbal, ao vencer fora o Boavista, por 3-1, em jogo da 14.ª jornada.

Fábio Coentrão (45+3 minutos), que não marcava há quase dois anos, e o holandês Bas Dost (63 e 67) fizeram os golos dos‘leões, com o angolano Mateus a reduzir aos 65.
Ainda sem derrotas no campeonato, o Sporting, que somou o terceiro triunfo consecutivo, passou a somar 36 pontos, mais três do que o FC Porto, que joga no domingo em casa do Vitória de Setúbal, e do que o Benfica, enquanto o Boavista é oitavo, com 17 e com o Portimonense e o Belenenses a um ponto e o Chaves.
Num teste que se antevia difícil, os ‘leões’ saíram-se bem, marcaram ainda na primeira parte, por Fábio Coentrão, e viram Bas Dost fazer um ‘bis’, aos 63 e aos 67 minutos, com Mateus a marcar pelo meio.
O primeiro remate do jogo foi de Fábio Coentrão, aos 20 minutos, o que dá uma ideia das apostas coincidentes que as duas fizeram a nível defensivo, procurando assim manter as suas balizas protegidas.
O técnico ‘axadrezado’ colocou Vítor Bruno diante do lateral esquerdo Talocha e, desse modo, tentou criar aí uma barreira aos raides de Gelson Martins e de Piccini, que tanto problemas causam às defesas contrárias.
Aos poucos, porém, o jogo abriu e as duas equipas começaram então a encontrar o espaço que não tinham tido e a dar mais trabalho às defesas, mas ainda não aos guarda-redes.
A primeira grande situação de perigo e de golo surgir já aos 43 minutos e para o Sporting, quando Gelson Martins escapou à forte marcação que lhe foi movida, cruzou e a defesa boavisteira viu-se em grandes apuros para afastar a bola da sua área
Nos descontos da primeira parte, Podence trabalhou bem na direita, driblando Talocha várias vezes, cruzou para o segundo poste e Fábio Coentrão surgiu a cabecear e a fazer o 1-0 com que se foi para o intervalo.
O Sporting conseguiu, assim, graças a um golpe de puro talento o irrequieto Podense e ao sentido de oportunidade evidenciado por Fábio Coentrão, vencer a tenaz oposição que o Boavista através de uma grande entrega e de muito coração.
O treinador Jorge Simão, na antevisão deste jogo, chamou a atenção para o facto de o Sporting ter marcado primeiro do que o adversário em 11 dos jogos que fez antes deste para o campeonato, sendo que em sete desses encontros foi para o intervalo a ganhar.
Foi exatamente isso que aconteceu nesta partida que o Sporting virou a seu favor, em definitivo, na segunda parte, período em que Podence continuou a destacar-se com o seu estilo irrequieto e a sua técnica dinâmica.
O Boavista respondeu com as suas armas habituais e pediu grande penalidade aos 54 minutos, num lance entre Vítor Bruno e Fábio Coentrão na área leonina, em que o lateral axadrezado caiu, mas o árbitro não lhe fez a vontade.
Jorge Simão também notou que o Sporting era forte nas bolas paradas, conseguindo por esta via vários golos, e foi depois de um canto, aos 63, e de um livre, aos 67, que Bas Dost, fez o 0-2 e o 1-3, em ambos os casos com a defesa boavisteira a ser sempre batida pelo ar.
Entre esses dois golos leoninos, o Boavista marcou o seu, por Mateus, golo esse que, contudo, só foi validado após o árbitro receber luz verde do videoárbitro.
Os três golos marcados em quatro minutos foram o ponto alto de um jogo que subiu muito de qualidade no segundo tempo, muito por culpa de um Sporting confiante, autoritário, superior e com um Gelson inspirado no segundo tempo, não dando sequer sinais de cansaço físico pelo jogo que realizado terça-feira passada para a ‘Champions’.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Antevisão Boavista FC - Sporting CP




BOAVISTA FC – Sporting Clube de Portugal
Sábado, dia 9 de dezembro, às 20:30

PREÇOS DOS BILHETES
SÓCIOS: 5 euros

Acompanhante de sócio: 15 euros* (disponíveis em número limitado e apenas para sócios contribuintes - 1 por associado)
*Nas zonas exclusivas para sócios do Boavista, por questões de segurança, não serão permitidos adereços do clube visitante, ou quaisquer outros além do visitado.
Todos deverão adquirir os seus ingressos nos locais oficiais próprios ou através dos meios oficiais e verificar bem para que local exacto os estão a adquirir. Quem não o fizer será o responsável, caso fique sujeito às medidas acima mencionadas.

PÚBLICO
Bancada Norte Nível 2: 20 euros**
Bancada Norte Nível 1: 25 euros**
Bancada Nascente Nível 2 (Executive Seats): 55 euros**

Os preços e medidas determinados são exactamente iguais para os jogos com SL Benfica, FC Porto e Sporting CP.
** Apenas serão vendidos no máximo 3 bilhetes de público por pessoa na bilheteiras do Estádio do Bessa Século XXI.
Horários das bilheteiras: Segunda a sexta, das 9h30 - 12:30, e das 14h00 - 18h00. Sábado das 9:30 até ao intervalo do jogo

sábado, 2 de dezembro de 2017

Empate na Noite Gelada de Chaves

GD CHAVES-0 BOAVISTA FC-0
Liga Nós Época 2017-2018 13ºJornada
2 de Dezembro de 2017 - 20h30
Estádio Municipal Engenheiro Manuel Branco Teixeira em Chaves
 Árbitro :Manuel Mota(A.F.Braga)


GR:António Filipe GR:Vágner da Silva
DD:Paulinho DD:Carraça
 DC:Domingos Duarte DC:Stéphane Sparagna
DC:Nikola Maras  DC:Raphael Rossi
DE:Rúben Ferreira DE:João Talocha
MC:Renan Bressan(Patrão 82') MC:Idrís Mandiang
MC:Pedro Tiba MC.David Simão
MC:Jefferson  MC:Fábio Espinho(Leonardo Ruiz 90')
ED:Matheus Pereira ED:Kuca(Ricardo Clarke 86')
EE:Hamdou Elhouni(Davidson 60') EE:Mateus(Vítor Bruno INT)
PL:Platiny(Jorginho 60')  PL:Rochinha

Treinador:Luís Castro              Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Stepháne Sparagna 53',Nikola Maras 65',Rochinha 70',Vítor Bruno 78',Carraça 85' e Raphael Rossi 90'.




Nulo foi mais saboroso para os visitantes. Transmontanos foram mais dominadores, perigosos, mas não fizeram o mais importante, o golo.
Numa noite fria em Trás-os-Montes não houve golos para aquecer a partida entre Chaves e Boavista, equipas que vinham de vitórias e acabaram por dividir pontos, num resultado mais penalizador para a equipa da casa.
Com Matheus Pereira em destaque, o poste e Vagner evitaram o golo ao extremo emprestado pelo Sporting. Jorge Simão, técnico do Boavista, volta a empatar em Chaves em novo regresso enquanto adversário, após o nulo da época passada ao serviço do Braga.
Nos flavienses, apenas uma mexida na equipa de Luís Castro, que lançou Hamdou Elhouni para o lugar de Davidson, no ataque, por opção, face à vitória no terreno do Belenenses na jornada anterior. Já Jorge Simão repetiu o onze da vitória caseira na receção ao Moreirense.
Com uma entrada forte, a equipa da casa pôs cedo em sentido a formação boavisteira. A ala esquerda que carburou bem entre Hamdou e Rúben Ferreira, depressa criou perigo, e aos três minutos Bressan tentou de meia distância importunar Vagner.
No entanto, a melhor situação da partida foi mesmo do Boavista, mas muito por culpa dos flavienses. Num passe à queima de António Filipe, Domingos Duarte perdeu a bola e Mateus ficou na cara do golo, mas o guarda-redes do Chaves redimiu-se.
O lance fez tremer os transmontanos, que ficaram algo perdidos em campo, aproveitando os visitantes para ficarem por cima do jogo, mas a partida ficou mais quizilenta e com muitas paragens do que com bom futebol.
Aos poucos os homens de Luís Castro reentravam na partida, e aos 24 minutos tiveram uma boa situação de golo, mas também a melhor jogada do encontro, quando Bressan ganhou uma bola em zona alta, combinou com Matheus Pereira que deu para Rúben Ferreira e este atirou ao lado, num remate cruzado que passou muito perto do alvo.
Era o sinal mais do Chaves que passou a mandar definitivamente no encontro e fez encolher o Boavista em determinados momentos.
Logo a seguir é Hamdou a ganhar uma bola já perto da área e a servir Tiba, que disparou para defesa de Vagner. Depois inverteram-se os papeis, com o médio a lançar Hamdou mas este a não conseguir o remate, por intervenção de Stéphane.
Aos 33 minutos, cheirou a golo em Trás-os-Montes mas o poste não permitiu, quando Matheus Pereira tirou bem demais as medidas à baliza de Vagner, que nada podia fazer ao remate forte e colocado disparado pela direita, com o pé esquerdo. Mesmo antes do intervalo, foi Platiny a aparecer no encontro, ao cabecear por cima a cruzamento de Paulinho, após bom envolvimento do lateral direito.
Oportunidades nos dois lados mas flavienses mais perigosos
O extremo dos flavienses, Matheus Pereira, ganhava tanto destaque antes do intervalo que Jorge Simão reforçou o lado esquerdo da sua defesa lançando Vítor Bruno para o lutar de Mateus, logo no arranque da segunda parte.
O jogo, esse, continuava a ser comandado pelos transmontanos, muito graças ao meio campo, que recuperava e lançava as bolas nos seus extremos.
Aos 57 minutos a bola rondou as duas balizas e o golo voltou a estar à vista. Na área flaviense, António Filipe evitou o golo após remate de Vítor Bruno, que até tinha começado a jogada que Rochinha não aproveitou à primeira mas acabou por servir o colega na perfeição. Na resposta, Platiny levou a bola pela direita e serviu Hamdou, mas o líbio atirou muito por cima de primeira.
Acabava por ser a última ação do extremo, pois Luís Castro fez uma dupla alteração ao refrescar o ataque com as entradas de Davidson e Jorginho para o lugar de Hamdou e Platiny.
As mexidas mantinham a equipa da casa ‘ligada à corrente’ e aos 69 minutos o golo voltou a ficar muito perto, com Matheus Pereira a fazer uma grande arrancada e a disparar com selo de golo, mas Vagner evitou com uma defesa para canto.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Antevisão GD Chaves - Boavista FC

DESLOCAÇÃO A CHAVES
RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

GD Chaves vs BOAVISTA FC
(2 de Dezembro, sábado às 20:30 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Chaves, no próximo sábado , dia 2 Dezembro.

PREÇOS
Bilhete + transporte: 15 euros
Apenas bilhete de jogo: 10euros

Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sábado, dia 2 de Dezembro às 18horas, na Pantera.

Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.

TODOS A CHAVES!

A Provedoria do Associado


sábado, 25 de novembro de 2017

Regresso às Vitórias

BOAVISTA FC-1 MOREIRENSE FC-0
Liga Nós 12ºJornada 2017-2018
25 de Novembro de 2017 - 18H15M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Fábio Veríssimo(A.F.Braga)

GR:Vágner da Silva   GR:Jhonatan Luiz
DD:Carraça  DD:Pierre Sagna
 DC:Stéphane Sparagna  DC:Iago Santos
DC:Raphael Rossi  DC:Hichern Belkaroui
DE:João Talocha DE:Rúben Lima
MC:Idrís Mandiang  MC:Ângelo Neto
 MC:David Simão MC:Tozé
MC:Fábio Espinho(Aymen Tahar 94')  EE:Bruno Ramires
ED:Kuca ED:Zizo(Biel Aouacheria 80')
EE:Mateus(Vítor Bruno 60') 79 EE:Arsénio Nunes(Fréderic Maciel 73')
PL:Rochinha(Leonardo Ruiz 82') PL:Ronald Penã

Treinador:Jorge Simão               Treinador:Sérgio Vieira

Cartões Amarelos:Ângelo 37',Idrís Mandiang 51',David Simão 68,Hichern Belkaroui 83' e Bruno Ramires 87'.

Golos:Carraça 29'.


BOAVISTA REGRESSA ÀS VITÓRIAS




Um golo de Carraça, aos 29 minutos, permitiu este sábado ao Boavista vencer por 1-0 na receção ao Moreirense, em jogo da 12ª jornada da I Liga de futebol.

Com esta vitória, a formação orientada por Jorge Simão subiu ao sétimo posto, agora com 16 pontos, enquanto a equipa comandada por Sérgio Vieira mantém-se abaixo da linha de despromoção, sendo 17ª com sete.
O treinador boavisteiro surpreendeu, porque deixou os pontas de lança Rui Pedro e Leonardo Ruiz sentados no banco e confiou a Rochinha ao papel de avançado móvel, tarefa que o jogador cumpriu razoavelmente.
O Moreirense apresentou-se desinibido e esteve melhor no primeiro quarto de hora, graças a um futebol organizado e desenvolto, ante um Boavista que sentiu dificuldades para ter bola e sair para o ataque.
O conjunto visitante criou a primeira situação de perigo com um remate cruzado de Zizo, aos 12 minutos, e o Boavista respondeu aos 25, quando Rochinha cruzou e Mateus, isolado, desviou para as mãos de Jhonatan, falhando uma ocasião clara de golo.
O Moreirense continuou a dar boas indicações nas suas ações ofensivas, sobretudo pelo corredor esquerdo, e, aos 27 minutos, construiu nova situação e perigo para a baliza de Vagner, após cruzamento de Ruben Lima.
O Boavista procurou contrariar o futebol fluido do adversário através da sua habitual intensidade defensiva e meio-campo, até que aos 29 minutos marcou na sequência de um canto estudado cobrado por Fábio Espinho, em que a bola seguiu diretamente para Carraça e este, de primeira, atirou colocado e sem defesa para Jhonatan.
O segundo tempo começou com o Moreirense dominador, com mais iniciativa e mais bola e a arriscar tudo para chegar ao golo, e o Boavista acantonado no seu meio-campo, na expetativa de um contra-ataque.
Apesar disso, foi o Boavista que, aos 47 minutos, podia ter marcado pela segunda vez, num ‘chapéu’ mal medido de Fábio Espinho.
O Moreirense prosseguiu a sua busca de um golo, mas correu tantos riscos que desguarneceu a sua defesa e só não sofreu mais golos devido a ineficácia finalizadora dos ‘axadrezados’, nomeadamente aos 56 minutos, por Mateus, lento, e aos 90+2 por Vítor Buno, que rematou para fora.
A vitória assenta bem ao Boavista, porque, sem fazer uma grande exibição, foi a equipa mais perigosa, lúcida e objetiva, para o que muito contribuiu David Simão e sua grande qualidade técnica, e também porque dispôs de várias ocasiões para construir um resultado mais confortável.
No Moreirense, o médio Tozé terá sido o jogador em maior evidência e o que mais tentou remar contra a maré, mas faltou-lhe a companhia necessária para dar sequência ao seu futebol.


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Antevisão Boavista FC - Moreirense FC

BOAVISTA FC – Moreirense FC
Sábado , dia 25 de Novembro às 18:15
Preços dos bilhetes
Sócios: 3€
Acompanhantes de Sócio: 7,5€ (cada associado poderá adquirir até 3 Bilhetes)

Público: 15€
Horário das bilheteiras: segunda a sexta, das 9h30 às 12h30, e das 14h00 às 18h00;
sábado, das 9h30 até ao intervalo do jogo, 
bilheteira nascente: das 16:00 até ao intervalo do jogo.

sábado, 4 de novembro de 2017

Segunda Derrota Consecutiva

CD TONDELA-3 BOAVISTA FC-2
Liga Nós Época 2017-2018 11ºJornada
4 de Novembro de 2017 - 16h
Estádio João Cardoso em Tondela
 Árbitro :João Pinheiro(A.F.Braga)


GR:Claúdio Ramos GR:Vágner da Silva
DD:David Bruno DD:Carraça(Kuca 87')
 DC:Ricardo Costa DC:Stéphane Sparagna
DC:Yordan Osorio  DC:Raphael Rossi
DE:Joãozinho DE:João Talocha
MC:Claude Gonçalves MC:Idrís Mandiang
MC:Hélder Tavares MC.David Simão
MC:Pedro Nuno MC:Fábio Espinho
ED:Miguel Cardoso ED:Renato Santos
EE:Murilo Freitas EE:Mateus
PL:Tomané  PL:Rui Pedro(Yusupha Nije 55')(Rochinha 72')
Treinador:Pepa               Treinador:Jorge Simão


Cartões Amarelos:Stéphane Sparagna 76',João Talocha 80' e Ricardo Costa 83'.

Golos: Raphael Rossi 64',Fábio Espinho 69',Murilo Freitas 77'(g.p.),Tomané 78' e Murilo Freitas 85'.


O Tondela foi mesmo por estradas sinuosas, mas tirou uma grande pedra do seu caminho, e alcançou a segunda vitória caseira consecutiva. Os beirões escolheram um atalho difícil, estiveram a perder por dois golos e diferença, mas alcançaram mesmo o trilho dos triunfos que tanto pretendiam.
O Boavista é que fica com uma pedra no sapato, pela vantagem que desperdiçou, e que deixa o adversário deste sábado a apenas um ponto de si na classificação.
Mérito para Pepa, que mexeu muito bem na equipa e viu dois jogadores suplentes a assumirem papéis de destaque numa reviravolta "à Tondela", que aconteceu em menos de dez minutos.
Promessas de golos por cumprir
Numa primeira parte de futebol positivo e várias oportunidades de golo para ambas as equipas, faltaram apenas os golos a dar cor ao marcador.
O Tondela entrou mais autoritário e a querer chegar à vantagem cedo, desperdiçou duas boas ocasiões de golo, ambas por Pedro Nuno. Na primeira, logo no primeiro minuto, o médio criativo surgiu a cabecear no interior da área para excelente intervenção de Vágner. E depois, aos 14 minutos, em boa posição para finalizar, rematou cruzado muito ao lado.
Com o tempo o Boavista começou a crescer na partida e equilibrar até nas oportunidades de golo, ficando perto de marcar duas vezes dentro do minuto 19.
Primeiro foi Rossi a obrigar Cládio Ramos a uma defesa muito difícil para canto, do qual surgiria a melhor ocasião de golo. Idris subiu mais do que toda a gente no interior da área do Tondela, mas o seu cabeceamento embateu no poste e nem na recarga o senegalês conseguiu inaugurar o marcador.
O Tondela mostrava dificuldades em chegar ao último terço do terreno, com os “axadrezados” a cerrarem todos os caminhos para a baliza de Vágner, e seria a equipa da casa a voltar a estar muito perto do golo, por David Simão.
Aliás, o médio português ainda deve estar a tentar perceber o que aconteceu naquele minuto 27, quando, após canto da direita, só precisava de encostar, mas enrolou-se com a bola e acabou por impedir que ela entrasse na baliza de um atónito Cláudio Ramos, e para desespero dos adeptos do Boavista que, ali a poucos metros, ainda gritaram golo.
Nada feito, porém, para as intenções dos boavisteiros, ou para os bons dez minutos finais do Tondela, que voltou a tentar desfazer o nulo, mas voltou a esbarrar na ineficácia dos seus homens da frente.
Era um extra de emoção para o jogo, por favor!
Na segunda parte, voltou a ser a equipa da casa a entrar melhor e a estar perto do golo, aos 53', quando Murilo, Osorio e Miguel Cardoso, à vez, num lance muito confuso, não conseguiram acertar com a baliza de Vágner.
A partir daí veio a emoção em forma de golos. Rossi deu vantagem ao Boavista aos 63' e cinco minutos depois, Fábio Espinho dilatou a vantagem.
O médio boavisteiro permitiu a defesa de Cláudio Ramos na transformação de uma grande penalidade a castigar falta de Ricardo Costa sobre Yusupha, mas marcou na recarga o golo que parecia ser o da tranquilidade.
Só que o Tondela parece gostar de desafios que aparentam ser impossíveis. As provas disso no seu historial na I Liga sucedem-se, e neste sábado surgiu mais uma.
Pepa mexeu na equipa ainda antes da marcação da grande penalidade, colocando Heliardo ao lado de Tomané e abdicando de lateral David Bruno, para colocar Tyler Boyd na frente, fazendo recuar Miguel Cardoso.
E a receita não demorou a fazer efeito. O extremo neo-zelandês conquistou uma grande penalidade que Murilo aproveitou para reduzir a desvantagem (77') e um minuto depois, Heliardo asssitiu Tomané, para o golo do empate.
As gentes de Tondela galvanizaram-se, os homens de Pepa foram na corrente e, num filme que parece repetido na cidade beirã, a reviravolta aconteceu mesmo, quase no último suspiro, aos 85 minutos, quando Murilo bisou e deu a vitória aos auriverdes que, com 12 pontos, respiram fundo.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Antevisão CD Tondela - Boavista FC



DESLOCAÇÃO A TONDELA
RESERVAS E BILHETES JÁ DISPONÍVEIS NA SECRETARIA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

CD Tondela vs BOAVISTA FC
(4 de Novembro, sábado às 16:00 horas)

A Provedoria do Associado do Boavista Futebol Clube, em colaboração e com o apoio do Boavista, organiza a deslocação a Tondela, no próximo sábado , dia 4 de novembro.

PREÇOS
Bilhete + transporte: 12,5euros
Apenas bilhete de jogo: 10euros

Horários da secretaria de segunda a sexta: das 9:30 às 12:30 e das 14:00 às 18:00
Partida: sábado, dia 4 de novembro às 13:30 horas, na Pantera.

Solicitamos, ainda, que haja comportamento correcto, por parte de todos, durante a viagem, para não afectar futuras deslocações.
TODOS A TONDELA!